<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    De muitas maneiras, os data centers hoje são um símbolo de nosso mundo hiperconectado e governado por informações. 

    Para as empresas, os dados se tornaram o ativo mais importante dessa nova economia digital. À medida que suas operações se tornam cada vez mais digitalizadas, as organizações enfrentam um desafio maior para gerenciar, armazenar e garantir a conformidade e a segurança desses dados

    Fazer isso no local exige muito investimento em infraestrutura, custos de manutenção, mão de obra especializada, segurança, dentre outros requisitos.

    É justamente nesse ponto que o data center surge como a melhor solução atual. Ele fornece às empresas uma solução dedicada, econômica, escalável e segura para todas as suas necessidades de dados. 

    Eles eliminam a carga de gerenciamento de dados e a necessidade de infraestrutura, permitindo que a organização se concentre no seu core business.

    No mundo inteiro, o data center nuvem vem conquistando cada vez mais espaço. Para te atualizar sobre o assunto, listamos, a seguir, algumas curiosidades sobre essa tecnologia.

    1- 175ZB até 2025

    Em 2018, a quantidade total de dados criados, capturados, copiados e consumidos no mundo foi de 33 zettabytes (ZB) – o equivalente a 33 trilhões de gigabytes. Em 2020, foi alcançada a marca de 59ZB.

    A previsão é que até 2025 esse número chegue a 175ZB. Um zettabyte corresponde a 8.000.000.000.000.000.000.000 bits.

    2- US$ 227 bilhões em gastos

    Para que a quantidade total de dados no mundo mais que dobre até 2025, é esperado que os gastos de empresas com data centers também cresçam anualmente.

    Nesse sentido, a expectativa é que, somente em 2022, os custos com a tecnologia cheguem a US$ 227 bilhões, o que representa um aumento de 4,7% em relação ao ano de 2021.

    3- US$ 69 bilhões em receita até 2024

    Com a crescente demanda por data center na nuvem, fica claro que o mercado internacional também se beneficiará do aumento. 

    A taxa de crescimento anual esperada entre 2019 e 2025 é de 2%. Somente nos Estados Unidos, a receita deve ultrapassar US$ 69 bilhões até 2024.

    4- O maior data center do mundo

    O maior data center do mundo, atualmente, corresponde a uma área equivalente a mais de 10 MASPs (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand).

    Localizado em Chicago, nos Estados Unidos, o Lakeside Technology Center tem aproximadamente 102 mil m² e é equipado com mais de 50 geradores de energia. 

    No ranking dos maiores data centers do mundo, Google, Apple, Microsoft e Facebook dominam as primeiras posições.

    5- Existem 2.751 data centers só nos EUA

    Não é em vão que os norte-americanos possuem os data centers mais impressionantes do mundo. O país também aparece em primeiro quando o assunto é quantidade.

    Em janeiro de 2022, existiam cerca de 2.751 data centers nos Estados Unidos. Em seguida, aparecem a Alemanha com 484 e o Reino Unido com 458. O Brasil aparece em 12º, com 140.

    download ebook data center

    6- O maior data center da América Latina

    Apesar de ainda não ser um destaque no mercado mundial, o maior data center do Brasil também é o mais extenso e impressionante da América Latina.

    Localizado em Vinhedo, interior de São Paulo, o data center da Ascenty tem 40 mil m² de área, distribuído em cinco infraestruturas.

    7- O principal mercado de data centers da América Latina é no Brasil

    Segundo um relatório publicado pela ReportLinker, nosso país é o principal mercado de data centers na América Latina, o que impulsionou 40% do investimento total na região. 

    Em 2021, eram 17 provedores operando em cerca de 44 instalações. No ano de 2020, o mercado brasileiro de data center em nuvem gerou mais de US$ 680 milhões de receita.

    8- A comunicação hoje já é quase inteiramente digital

    A transição para soluções digitais apenas acompanha as mudanças de comportamento que já são vistas em nossa sociedade.

    Atualmente, cerca de 92% das informações produzidas são em formato digital.

    9- Em 1 minuto de internet…

    Essa preferência pelo digital pode ser explicada, principalmente, pela velocidade na qual consumimos conteúdo atualmente e pela conectividade global que a internet proporciona.

    No mundo, em 2019, um minuto representava:

    • 1 milhão de logins no Facebook;
    • 4,5 milhões de vídeos assistidos no YouTube;
    • 41,6 milhões de mensagens enviadas no WhatsApp e no Messenger;
    • 3,8 milhões de consultas ao Google;
    • 347.222 posts visualizados no Instagram.

    Números que provavelmente dobraram, ou mais, após a pandemia causada pela Covid-19.

    Para armazenar e gerenciar todos esses dados, as organizações citadas contam, cada uma, com um gigantesco data center.

    10- 100 milhões de gigabytes

    Essa é a capacidade de armazenamento do data center do Google. Se alguém fosse reunir todas essas informações em um HD, seriam necessários 10 mil dispositivos com 10 terabyte cada.

    11- 14 trilhões de árvores em um data center

    Aliás, se alguém fosse imprimir todos os dados contidos em um data center na nuvem, seriam necessárias 14 trilhões de árvores. 

    Já a quantidade de papel utilizado seria suficiente para embrulhar o planeta 7 vezes. O meio ambiente agradece!

    12- 21°C é a temperatura ideal

    A temperatura ideal no ambiente de data center é em torno de 21°C, com umidade de 50%.

    Para manter essas condições, é necessário contar com um subsistema de climatização. Isso garante que:

    • Os equipamentos não sofram superaquecimento, o que pode prejudicar seu desempenho;
    • A umidade seja controlada, evitando tanto que a água condense dentro dos servidores quanto a ocorrência de cargas eletrostáticas;
    • Controlar a qualidade do ar, evitando o surgimento de poeiras e outras partículas que podem prejudicar o funcionamento do data center.

    13- Não é qualquer um que entra em um data center

    Para visitar um data center, é necessário apresentar uma solicitação de entrada com todos os detalhes da visita ou prestação de serviço. Sem esse documento e sem autorização, não é possível acesso a nenhuma dependência do centro de processamento de dados.

    Caso esteja tudo certo, o visitante é encaminhado à recepção interna para verificação da atividade que será executada.

    Durante toda a permanência no data center, um segurança faz o acompanhamento, para garantir que nenhuma ação que não foi previamente autorizada seja executada.

    14- E se acabar a luz?

    Ainda segundo o relatório divulgado pelo ReportLinker, o Brasil possui um atrativo muito importante no mercado de data center: 75 instalações são credenciadas pelo Uptime Institute Tier III.

    Trata-se de um certificado que atesta que o funcionamento do data center é ininterrupto, evitando que a falta de luz desative o sistema.

    E é justamente isso que acontece. Geralmente, os data centers contam com subsistemas (UPS ou geradores diesel) que garantem autonomia aproximada de 2 dias.

    Quer ficar por dentro das últimas tendências de tecnologia para as empresas? Continue acompanhando o blog da EVEO!