Falar com um consultor

    Categorias

     

    A governança na nuvem é o conjunto de regras e políticas relacionadas ao desenvolvimento e a implementação de ações de cloud computing ou computação em nuvem. Nesse conceito, são incluídos os controles para gerenciar o acesso, o orçamento e a conformidade dos dados armazenados.

    Há uma nítida semelhança com a definição de governança de TI, só que on-line, certo? Errado! As diferenças entre os conceitos vão além, divergindo, entre outros pontos, nas práticas efetivas.

    Neste blog post, vamos explicar melhor o que é a governança na nuvem, seus princípios para o cloud computing e as principais práticas para incluí-la nos processos. Continue a leitura e saiba mais!

    Qual é a diferença entre governança de TI e governança na nuvem?

    A computação em nuvem é uma solução importante para facilitar o acesso e a manipulação aos dados de uma empresa, permitindo que os processos e a criação de sistemas sejam realizados on-line com segurança de dados. Por meio dela, vários grupos da organização podem participar do processo de desenvolvimento ao mesmo tempo.

    É nesse contexto que surge a governança na nuvem, com o objetivo de garantir e melhorar a segurança dos dados, gerenciar riscos e permitir a operação dos sistemas no cloud computing. É um elemento necessário nas empresas que trabalham com nuvem, já que há vários desafios frente ao uso dessa tecnologia, como:

    • Integração deficiente entre sistemas em nuvem;
    • Duplicação de esforços ou dados entre diferentes partes da organização;
    • Sistemas em nuvem e objetivos de negócios sem alinhamento;
    • Problemas adicionais de segurança, um controle de acesso fraco ou inexistente em novos sistemas.

    Por outro lado, quando pensamos na governança de TI, falamos de um conceito mais amplo, que rege sim atividades semelhantes — da segurança de dados ao gerenciamento de riscos — mas em relação a todos os recursos e soluções da Tecnologia da Informação. Vai além da computação em nuvem, incluindo todos os colaboradores da empresa nos processos. Afinal, eles manipulam informações em suas rotinas.

    Dessa maneira, cabe aos gestores de TI entenderem a necessidade e os benefícios de implementar a governança na nuvem como estratégia para os negócios, adotando as práticas adequadas à empresa.

    Conheça os princípios da governança nas estratégias de cloud computing

    A governança na nuvem é regida por cinco princípios que promovem uma gestão de dados transparente e eficiente. São eles:

    • Conformidade com políticas e padrões: a organização deve manter as estratégias de computação em nuvem alinhadas com os regulamentos e padrões de conformidade aplicados no restante da empresa.
    • Alinhamento com os objetivos de negócios: todas as políticas e sistemas que incluem o cloud computing devem fazer parte da estratégia geral de negócios e de TI, apoiando direta ou indiretamente as metas de negócios e a geração de receita.
    • Colaboração: as partes relacionadas ao uso da estrutura de computação em nuvem devem estar de acordo com as regras de utilização da infraestrutura de nuvem, para um uso apropriado das soluções.
    • Gerenciamento de mudanças: todas as alterações nos sistemas e no próprio ambiente de nuvem devem ser realizadas de maneira controlada, consistente e padronizada, conforme as políticas estabelecidas.
    • Resposta dinâmica: a governança na nuvem deve contar com monitoramento e automação de nuvem para responder dinamicamente a eventos no ambiente onde é aplicada.

    4 práticas da estrutura de governança de nuvem

    A governança na nuvem possui alguns componentes que precisam estar no radar dos gestores na hora de implementá-la nos processos. Eles devem alinhar a computação em nuvem com quatro frentes de gerenciamento: 1) financeiro; 2) de operações; 3) de dados; 4) de conformidade e segurança. Vamos explicar cada uma dessas práticas a seguir!

    1. Gerenciamento financeiro

    As organizações, muitas vezes, têm dificuldades para manter os custos da nuvem sob controle. Contudo, a ferramenta pode ser uma aliada na redução de custos de TI, contanto que seja  feita uma gestão financeira adequada.

    Com a prática da governança na nuvem, os gestores devem definir políticas para esse fim, centralizando o acesso e os custos em um ambiente atualizado em tempo real. Qualquer alteração fica disponível a todos os interessados, reduzindo riscos de violação nas políticas financeiras e o surgimento de custos inesperados.

    O gerenciamento financeiro na computação em nuvem deve estipular também orçamentos parciais e/ou totais referentes aos setores que precisam utilizar a nuvem. Para um controle adequado, é importante usar ferramentas de relatório de custos.

    2. Gerenciamento de operações

    Essa prática é necessária para estabelecer e organizar os processos de implantação de serviços. É importante definir os recursos alocados dentro da nuvem, assim como os acordos de nível de serviço (SLAs), para medir:

    • O desempenho esperado;
    • O monitoramento contínuo para garantir a efetividade dos SLAs;
    • As verificações de processo antes de implantar códigos
    • Os requisitos de controle de acesso.

    Um destaque para essa categoria é a redução de custos, já que muitos recursos desnecessários são excluídos dos orçamentos de avaliação. Assim, o retorno sobre o investimento (ROI) referente à nuvem se torna muito maior.

    3. Gerenciamento de dados

    Embora o cloud computing facilite a coleta e a análise de grandes quantidades de dados (Big Data), a governança na nuvem é responsável por especificar como as informações devem ser manipuladas. Para isso, algumas medidas podem ser tomadas:

    • Criação de classificações e definição de política de dados conforme a sensibilidade das informações;
    • Criptografia de todos os dados, proporcionando maior segurança;
    • Criação de controles de acesso aos dados;
    • Mascaramento de dados diante de ambientes de desenvolvimento, teste ou treinamentos;
    • Manipulação de dados por camadas, otimizando o uso de sistemas de baixo custo;
    • Automação do ciclo de vida dos dados, importante nas políticas de gerenciamento da computação em nuvem de grande escala.

    4. Gerenciamento de conformidade e segurança

    As políticas e padrões de segurança devem ser prioridade para as ações de governança na nuvem. Os gestores precisam defini-los de acordo com os regulamentos gerais da empresa, focando na integridade e acessibilidade dos dados.

    Os acessos precisam ser autenticados por senhas, protegendo as informações contra o ataque de malware ou o uso indevido por usuários mal intencionados. Entre os requisitos do gerenciamento de conformidade, é preciso levar em conta a análise de riscos, a gestão de identidade dos indivíduos, a criptografia de dados e as ações para recuperação de acessos e informações.

    Uma vez que o gerenciamento da computação em nuvem esteja alinhado com as quatro práticas apresentadas, sua empresa estará no caminho certo para uma boa manipulação e controle dos dados.

    Quer entender como fazer a sua migração para o modelo de cloud computing? Baixe agora mesmo o nosso e-book exclusivo “Passo a passo para fazer uma migração para a nuvem”.