<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    O avanço tecnológico e a proliferação de dispositivos móveis têm redefinido as demandas sobre as arquiteturas de rede. Nesse cenário, o edge computing se estabelece como uma peça-chave para moldar infraestruturas capazes de atender às necessidades crescentes do mercado. 

    Neste artigo, você entenderá:

    • o conceito de edge computing;
    • suas aplicações avançadas; 
    • como implementar esse tipo de solução.

    O que é edge computing?

    Edge computing, ou computação de borda, é uma abordagem na arquitetura de TI que descentraliza o processamento e a análise de dados, transferindo parte dessas operações para o "limite da rede" — os pontos próximos aos dispositivos ou sistemas geradores de dados.

    Essa estratégia desempenha um papel fundamental na transformação digital, pois permite uma distribuição mais eficiente de tarefas computacionais, proporcionando agilidade e resiliência em ambientes conectados.

    Diferente dos modelos tradicionais com operações centralizadas em data centers, o edge computing distribui a carga de trabalho, possibilitando a execução de tarefas em dispositivos próprios ou em servidores locais.

    Para fins de comparação e entendimento, vale uma diferenciação básica entre cloud computing e edge computing.

    Cloud computing

    A computação em nuvem utiliza processamento centralizado em data centers remotos, enfatizando escalabilidade global, eficiência no processamento de grandes volumes de dados e flexibilidade em relação à latência.

    Edge computing

    A computação de ponta descentraliza o processamento, realizando parte das operações em locais próximos aos dispositivos geradores de dados. Ela se destaca por aspectos como minimização da latência, distribuição de recursos em pontos específicos e adequação a ambientes com restrições de largura de banda.

    Para que serve a computação de ponta?

    A versatilidade do edge computing reflete-se em suas aplicações multifacetadas, oferecendo soluções adaptadas a diversos setores empresariais:

    Varejo 

    A adoção do edge computing no varejo permite analisar dados de comportamento do cliente em tempo real e personalizar ofertas e promoções de forma imediata. A integração de dispositivos IoT nas lojas transforma a experiência do cliente, tornando-a mais envolvente e adaptada às preferências individuais. 

    Indústria

    A automação, impulsionada pelo edge computing, redefine o controle de qualidade, garantindo eficiência e precisão em ambientes fabris. Sensores em máquinas e linhas de produção processam dados localmente, permitindo o monitoramento em tempo real, a manutenção preditiva e a otimização da eficiência operacional sem depender de uma conexão constante com a nuvem central.

    Veículos autônomos 

    A análise instantânea de dados possibilita monitoramento contínuo e controle eficaz de veículos autônomos, elevando os padrões de segurança. O edge computing é crucial para processar dados de sensores e câmeras no próprio veículo, possibilitando a tomada de decisões em tempo real, como a resposta rápida às condições de tráfego, independentemente da conectividade com a nuvem.

    Setor de saúde 

    Na área da saúde, o edge computing viabiliza o monitoramento remoto de pacientes. Dispositivos médicos conectados processam dados localmente, permitindo a análise em tempo real e a tomada de decisões médicas imediatas. Técnicas avançadas baseadas em IA e Machine Learning aceleram diagnósticos médicos, melhorando a eficiência e a precisão.

    Como implementar uma solução de edge computing?

    Os aspectos mais importantes na implementação de uma arquitetura para edge computing incluem:

    Seleção de hardware adequada

    A escolha do hardware adequado para implementação é crucial para garantir desempenho otimizado e eficiência operacional. Inicialmente, avalie as demandas específicas da aplicação, considerando fatores como:

    • carga de trabalho;
    • requisitos de processamento;
    • armazenamento. 

    Opte por hardware robusto e adaptado à operação em ambientes descentralizados. Servidores locais, dispositivos IoT e sensores devem ser escolhidos com base na capacidade de processamento e nas características da aplicação. 

    Além disso, é essencial considerar a durabilidade e resistência do hardware, especialmente em ambientes industriais. 

    Configuração de redes

    A configuração de redes para edge computing requer planejamento preciso para garantir conectividade eficiente entre dispositivos de borda, servidores locais e, quando necessário, infraestrutura de nuvem. Inicie mapeando a topologia de rede, identificando pontos críticos para minimizar a latência e otimizar a transferência de dados. 

    A configuração de switches e roteadores para gerenciar o tráfego de forma otimizada deve considerar a distribuição dos dispositivos de borda. Implemente práticas de segmentação de rede para fortalecer a segurança e considere redundâncias para garantir alta disponibilidade. 

    Implantação de aplicativos 

    A implantação de aplicativos em uma solução de edge computing envolve cuidados específicos para garantir eficiência e desempenho otimizado. Inicie escolhendo ou desenvolvendo aplicativos adequados para a borda da rede, levando em consideração os requisitos de processamento local e a capacidade de tomada de decisão rápida. 

    Durante a implantação, considere a escalabilidade para atender às demandas crescentes. A documentação detalhada desse processo é essencial para garantir uma manutenção eficaz e aprimoramentos futuros.

    Teste de desempenho

    A solução de edge computing deve ser submetida a condições simuladas para avaliar sua capacidade de resposta e eficiência operacional. Acompanhe métricas como tempo de resposta, taxa de transferência e utilização de recursos para identificar gargalos e otimizações necessárias. 

    Testes sob diferentes cargas e cenários ajudam a prever o comportamento em situações do mundo real. A análise dos resultados permitirá ajustes finos, assegurando que a solução cumpra suas metas.

    Monitoramento em tempo real 

    Implemente ferramentas de monitoramento para monitorar o desempenho em tempo real. Utilizando ferramentas avançadas, é possível ter uma resposta imediata a eventos críticos, minimizando a interrupção dos serviços. Alertas automáticos podem ser configurados para notificar sobre condições fora do padrão, proporcionando uma abordagem proativa na resolução de problemas. 

    O monitoramento em tempo real não apenas assegura a estabilidade operacional, mas também contribui para a otimização contínua da solução, garantindo eficiência e confiabilidade em ambientes dinâmicos e complexos.

    Finalizando, vale destacar que o edge computing fornece a infraestrutura necessária para a entrega eficaz de soluções de segurança cibernética baseadas em nuvem. 

    Para saber mais sobre isso, conheça o conceito de Secure Access Service Edge (SASE), uma das principais tendências do setor para os próximos anos.