<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    O processo de criação e desenvolvimento de um software é composto por diversas etapas. E, quanto maior for o projeto, maiores são as chances de acontecerem erros. Ou seja, os famosos “bugs”.

    Por esse motivo, é fundamental que, durante esse processo, sejam realizados testes para encontrar e corrigir tais problemas.

    Por mais que seja possível testar o software de maneira manual, existe um procedimento que facilita muito essa tarefa: a automação de testes. Quer saber como ela funciona, para que serve e quais ferramentas você pode utilizar para automatizar os seus testes? Então continue lendo este artigo e confira nossas dicas!

    A automação de testes de software

    O processo de automação de testes consiste no uso de softwares específicos capazes de controlar e gerenciar determinados testes. Isso é possível a partir da aplicação de estratégias e algumas ferramentas que facilitam a comparação entre resultados previstos e resultados reais.

    Com essas ferramentas, é possível realizar a configuração de pré-condições para cada teste, além de outras funções de controle e apresentação de relatório. Assim, a automação de testes parte de um processo manual de estabelecimento de regras, facilitando e agilizando uma das etapas mais importantes do desenvolvimento de um software.

    Quando a automação de testes deve ser feita

    A relevância da automação de testes está intrinsecamente ligada à qualidade final do produto que se pretende entregar. Dessa forma, automatizar os testes de software é um passo que dependerá, entre outras coisas, da própria viabilidade do processo.

    Ao identificar a necessidade de automatizar os testes de software, é fundamental entender quais serão os custos e se o projeto manterá o nível de qualidade. Além do mais, é preciso levar em consideração a maturidade do time de processo do teste, quantas vezes esses testes serão refeitos e reutilizados, quais os resultados esperados e, também, a frequência de mudanças das funcionalidades que serão testadas.

    Afinal de contas, é um desperdício de recursos realizar um teste para uma determinada funcionalidade que, em alguns dias, poderá sofrer alterações significativas. Então basicamente, a automação de testes deve ser aplicada, principalmente, quando é possível garantir que a qualidade da execução manual será mantida.

    download ebook data center

    As 5 principais ferramentas de automação de testes

    Naturalmente, no contexto da necessidade de se recorrer à automação de testes, as ferramentas de automação ocupam um papel de protagonismo, pois são as grandes responsáveis pela execução desse tipo de tarefa. Abaixo, listamos 5 das principais ferramentas de automação de testes disponíveis atualmente.

    1. Selenium

    O Selenium é, sem dúvidas, a estrutura de automação de testes mais utilizada hoje em dia. Criada no início dos anos 2000 e em constante evolução, essa ferramenta é a principal escolha dos testadores de código aberto para aplicativos da web.

    Além de ocupar esse posto de liderança na categoria de estruturas de automação de testes, o Selenium ainda serve como base para outras ferramentas de automação, como Katalon Studio, Robot Framework, Protractor e Watir.

    Suporta, ainda, diversos ambientes operacionais. Funciona em Windows, Mac e Linux, além das várias opções de navegadores, como Chrome, Firefox, Internet Explorer e Headless.

    O Selenium é melhor aproveitado por aqueles programadores com experiência em desenvolver scripts e bibliotecas específicas para cada tipo de teste que for necessário. Apesar disso, sua flexibilidade torna possível a aplicação da automação de testes em qualquer software.

    2. Robotium

    Voltado para aplicativos de Android, o Robotium é um framework muito popular para a automação de testes nessa plataforma. Completamente compatível com aplicações nativas e híbridas, a ferramenta permite a escrita da automação de testes de caixa-preta de maneira muito mais fácil.

    A principal função do Robotium é simular os procedimentos que, em condições normais, seriam executados pelo responsável pela análise de teste, podendo incluir cadastro, pesquisa ou alteração e deleção de um determinado registro.

    3. Appium

    O Appium é uma ferramenta open source de automação de testes de aplicações nativas ou híbridas, multiplataforma, que oferece suporte tanto para simuladores mobile quanto para aparelhos reais.

    Diferentemente do Robotium, exclusivamente voltado para o sistema Android, o Appium também é utilizado para automação de testes de softwares da plataforma iOS, da Apple, o que torna essa ferramenta extremamente atraente para os desenvolvedores.

    Com o Appium é possível realizar testes independentemente da linguagem de programação escolhida, uma vez que ele aceita scripts em Ruby, Java, Node.js, PHP, C#, Clojure e Perl.

     

    4. UFT — Unified Functional Testing

    O UFT é uma das ferramentas de teste comercial mais conhecidas quando se fala em teste funcional de software. Fornecendo um grande leque de recursos para API, serviços web e teste GUI de softwares para desktop, web e mobile, o UFT utiliza o Visual Basic Scripting Edition para registro de processos de teste e controle.

    Integrado ao Mercury Business Process Testing e ao Mercury Quality Center, o UFT suporta CI por meio da integração de ferramentas específicas, como o Jenkins.

    5. Watir

    Do mesmo modo que as outras ferramentas apresentadas neste artigo, o Watir é utilizado para automação de testes da Web, em código aberto, baseados em bibliotecas de código Ruby. A ferramenta aceita testes em diferentes tipos de navegadores, como Firefox, Opera, Headless e Internet Explorer.

    Além do mais, o Watir ainda suporta outros testes orientados a dados, integrando-se com ferramentas BBD, como Test/Unit, Cucumber e RSpec.

    Por que fazer a automação de testes

    A execução de testes de software é uma tarefa extremamente repetitiva e cansativa. E, infelizmente, é impossível abrir mão dessa etapa de desenvolvimento quando se quer entregar um produto de qualidade para os consumidores. Por esse motivo, recorrer à automação de testes é uma ótima escolha.

    As ferramentas de automação permitem que o código seja escrito uma única vez, fazendo com que o computador execute todos os testes escritos para o software de tempos em tempos. Como resultado, o time de desenvolvimento ganha confiança, uma vez que é possível alocar o tempo despendido para os testes em tarefas como a própria correção dos erros que, por ventura, venham a ser detectados pelos testes automatizados.

    Contudo, um dos maiores benefícios de se utilizar a automação de testes é que, de forma geral, a produtividade do desenvolvimento do software aumenta e, com ela, a satisfação dos clientes, uma vez que esses têm a garantia de receber um produto com nenhum erro.

    E você, já conhecia a automação de testes? Tem vontade de aplicar esse tipo de ferramenta no seu processo de desenvolvimento de software? Esperamos ter lhe ajudado com esse artigo!