<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    Não só no mercado de TI brasileiro, mas em todo o mundo, é possível observar um grande distanciamento entre os desenvolvedores de softwares e administradores operacionais de ambientes e redes utilizados para o trabalho. Esse é um problema comum entre as empresas, principalmente aquelas que se desenvolvem continuamente. No entanto, há uma solução a caminho. A cultura DevOps, na prática, visa a aproximar essas frentes de trabalho, gerando processos mais integrados e viabilizando a automação.

    Como veremos mais adiante, apesar de ser uma cultura a ser fomentada, o DevOps funciona como uma metodologia de desenvolvimento e, por isso, tem os próprios princípios, procedimentos e ferramentas específicas para atingir os seus objetivos de integração de processos, melhoria contínua de rotinas e a criação de ambientes funcionais de alto desempenho e produtividade, cada vez mais seguros e com baixo índice de erros.

    E então, está curioso para saber mais sobre o tema e quais os benefícios da sua adoção? Continue a leitura e descubra tudo sobre o assunto!

    O que é cultura DevOps?

    Os métodos de desenvolvimento ágil são muito importantes para a produção em larga escala de softwares, mas dividem os profissionais em grupos de funções distintas, criando barreiras para a comunicação e gerando rivalidade entre eles. A cultura DevOps visa a remover essas barreiras e a incentivar a colaboração entre os grupos de desenvolvimento e operações.

    Em outras palavras, a cultura DevOps favorece a integração da equipe de desenvolvimento com a de operações. Nessa cultura, as barreiras se desfazem e as equipes tornam-se uma, compartilhando processos, ferramentas, recursos e responsabilidades para alcançarem, juntas, as metas e os objetivos organizacionais.

    Mais do que isso, a cultura DevOps visa a acelerar os processos, do planejamento ao desenvolvimento de softwares, possibilitando uma entrega contínua e com um elevado grau de qualidade. Nesse caso, podemos dizer que integração, velocidade, entrega contínua e qualidade são as premissas dessa cultura.

    Quais ferramentas facilitam a prática de DevOps?

    Hoje, existem muitas ferramentas que permitem administrar metodologias ágeis, como Kanban e Scrum, online, e é difícil escolher uma, embora algumas empresas ainda prefiram métodos clássicos, como um quadro pendurado na parede com post-its fixados nele.

    Independentemente das preferências da empresa, existem ferramentas consideradas mais eficazes para incentivar a cultura DevOps. Saiba mais sobre elas adiante.

    Git, Subversion e Mercurial

    Em termos de desenvolvimento, o Git é a alternativa mais usada pela facilidade em controlar as versões das aplicações. O Subversion e o Mercurial são as opções mais conhecidas e mais bem avaliadas pelos profissionais de TI.

    Para complementar o conjunto de ferramentas, um bom sistema de tickets para documentar os pedidos internos de correção e otimização, por exemplo, deve garantir excelentes resultados.

    Scrum e Kanban

    Scrum e Kanban são as metodologias mais indicadas para a implementação da cultura DevOps, pois apresentam boa aderência aos diferentes formatos de processos existentes nas organizações. Isso porque:

    • o método Scrum é baseado em um conjunto de tarefas, agregando uma determinada pontuação para a complexidade envolvida durante as reuniões de planejamento e entrega;
    • o Kanban oferece um quadro que indica o desenvolvimento do projeto por meio das tarefas pendentes, em andamento e finalizadas em pipeline. Os integrantes da equipe participam de reuniões diárias para apresentar seus progressos individuais e coletivos, bem como para discutir problemas, desafios e soluções, além de apresentar as tarefas que desempenham no dia seguinte para chegar ao objetivo (estágio chamado “PRONTO”).

    A cultura DevOps tornou-se possível em grande parte devido a uma combinação entre o uso de novas ferramentas e práticas de certas metodologias ágeis. Entretanto, sozinhas, elas não são suficientes para criar uma cultura totalmente DevOps.

    Mesmo utilizando os melhores recursos tecnológicos disponíveis, o DevOps será apenas uma teoria se você não conscientizar os profissionais envolvidos e estimular a prática.

    Como definir e acompanhar métricas usando a cultura DevOps?

    Os métodos e ferramentas podem ser extremamente adaptáveis à cultura DevOps, embora seja interessante manter as suas premissas mais básicas. Nesse caso, a melhor forma de definir e acompanhar métricas é concentrando os eventos de desenvolvimento, correções, otimizações e atualizações pelo modelo de quadro Kanban.

    Como ele apresenta um nível maior de urgência para a tomada de decisões, consequentemente, você terá aplicações de soluções mais rápidas.

    O Scrum, por outro lado, deve ser usado para acompanhar o desenvolvimento e a otimização contínua do projeto (software), já que o planejamento prévio tem melhores aceitações e as demandas têm menor índice de urgência para serem atendidas.

    Banner E-book Data Center Virtual

    Quais os benefícios de inserir a cultura DevOps na empresa?

    Novas culturas são importantes para quebrar paradigmas nas empresas. As barreiras e rivalidades construídas entre os departamentos figuram um grande problema organizacional e, em muitos casos, difícil de ser superado.

    O foco no cumprimento de tarefas e a padronização das responsabilidades para com o resultado final dos projetos criam a sinergia de que a empresa precisa para reduzir o tempo gasto na gestão de pessoas e aumentar os esforços em otimização de processos.

    A responsabilidade que é compartilhada entre os funcionários funciona como um motivador para a adoção de comportamentos mais voltados à colaboração entre os membros das equipes. Se o grupo de desenvolvimento compartilhar a responsabilidade de cuidar de um sistema ao longo de toda a sua vida útil, os profissionais podem sentir as dores da equipe de operações e identificar maneiras de simplificar os processos de implementação e manutenção.

    Da mesma forma, quando os responsáveis pelas operações compartilham a responsabilidade dos objetivos de negócios, podem trabalhar mais de perto com os desenvolvedores para mostrar as necessidades operacionais de um sistema e ajudá-los a atendê-las.

    Como implementar a metodologia DevOps na empresa?

    O primeiro passo para o sucesso na implementação de uma nova cultura é estudá-la. Nesse processo, é importante que líderes (diretores e gestores) se unam aos colaboradores para o compartilhamento antecipado das regras de comportamento, bem como da importância de respeitá-las.

    Cada empresa tem o seu próprio ritmo, mas é bem possível que não leve mais do que duas semanas para realizar o estudo, o planejamento e a implementação das ferramentas, metodologias e comportamentos. Algumas soluções devem facilitar a implementação da cultura DevOps na empresa. Entre elas, podemos citar:

    • Container Cloud OpenShift — adapta-se a uma grande variedade de linguagens de programação e tipos de bancos de dados;
    • Data Center Virtual OpenStack — permite o gerenciamento de todo um Data Center por meio de uma API (Application Programming Interface). Isso facilita muito o trabalho dos envolvidos no processo.

    Na prática, a colaboração geralmente começa com a conscientização dos desenvolvedores em se preocupar mais com as dificuldades e os sucessos das equipes de operações e vice–versa, além da adoção de novas ferramentas e práticas de automação. Para isso, o apoio de um parceiro especializado é fundamental.

    Quais os cuidados a serem adotados?

    Conscientes dos benefícios oriundos do DevOps, resta, agora, compreender mais sobre as precauções a serem adotadas em sua implementação prática. Tal implementação não tem um método ou uma fórmula fixos, pois, como já vimos, trata-se de uma cultura organizacional baseada em colaboração.

    Apenas os princípios gerais dessa cultura podem ser executados e de maneira a permear todo o aspecto organizacional das empresas. Porém, alguns cuidados devem ser tomados visando à redução de erros nessa etapa. Vejamos a seguir.

    Integração de equipes de TI e desenvolvimento

    Com o objetivo de desenvolver um fluxo de trabalho mais eficiente, seguro e ágil, é preciso investir na integração dos diferentes departamentos de uma empresa, principalmente entre aqueles responsáveis pela operação e pelo desenvolvimento.

    Esta é a essência do DevOps: harmonizar as atividades executadas com as equipes de TI por meio de um planejamento colaborativo. Assim, esses setores, antes desconexos entre si, poderão atuar como um bloco integrado e sinérgico capaz de realizar entregas mais frequentes e de qualidade.

    Padronização dos ambientes

    Após a integração, é necessário gerenciar os processos unificados resultantes, e, para atingir esse objetivo, é preciso que haja a padronização da tecnologia da informação.

    Por meio de ferramentas em nuvem e plataformas comuns, é possível implantar a padronização de ambientes e, assim, assegurar que ambos os lados de desenvolvimento e das operações compartilharam dos mesmos métodos de comunicação e monitoramento e dos mesmos protocolos e documentos. Dessa forma, as equipes conseguirão atuar em conjunto com melhor eficiência e eficácia.

    Cloud-Server-EVEO-336x280

    Determinação de métricas de avaliação

    Para avaliar se a implantação da cultura DevOps está proporcionando os resultados esperados, é preciso estipular meios confiáveis e oportunos de monitoramento, capazes de fornecer essas respostas. A criação de métricas de avaliação de desempenho é o meio mais indicado para isso.

    Também chamados de indicadores-chave de performance, os KPIs não são pré-estabelecidos pela metodologia, cabendo aos gestores a responsabilidade pela escolha daqueles mais relevantes ao seu processo. Portanto, é preciso investir em análise e monitoramento constantes para avaliar o grau de sucesso da gestão de DevOps em uma empresa.

    Implementação gradativa

    Um último cuidado importante a ser adotado é a implementação progressiva. Uma cultura organizacional não é algo de fácil alteração e não pode ser feita em períodos curtos de tempo. Como uma cultura, o DevOps deve ser estimulado aos poucos entre os setores.

    Por exemplo, é possível dividir o processo de padronização em etapas menores em que, em determinado período, são padronizados alguns relatórios e documentos. Em seguida, em outro período, pode ser dada uma ênfase maior à redução de hierarquias das equipes de trabalho, e assim sucessivamente. A pressa não é recomendada uma vez que uma cultura deve ser internalizada para permanecer no longo prazo, e não simplesmente imposta.

    Até aqui, podemos concluir que a integração entre as linhas de produção mais importantes em uma empresa de tecnologia, como operações e desenvolvimento, garante melhorias no médio e no curto prazo sem grandes investimentos. Se considerar a otimização dos processos, o aumento da produção e a redução de custos que pode conseguir, a cultura DevOps deve ser seriamente considerada.

    Agora que você já sabe o que é, como funciona e quais os benefícios do DevOps na prática, assine a nossa newsletter para receber novos artigos diretamente em seu e-mail!