<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    Os holofotes sobre temas como a resiliência estão cada vez mais claros devido à crescente frequência de ameaças de segurança cibernética – especialmente ransomware. 

    O Gartner prevê que até o final de 2025, 30% das empresas estabelecerão novas funções focadas em resiliência. Isso sem dizer que aumentarão em pelo menos 45% a confiabilidade, a tolerabilidade e a capacidade de recuperação de ponta a ponta. 

    Neste post vamos falar sobre resiliência em TI e resiliência em cloud computing: fundamentais para a era digital.

    O que é resiliência em TI?

    A resiliência em TI tem a ver com o posicionamento estratégico de uma empresa e a garantia de que ela pode tirar o melhor proveito de quaisquer circunstâncias. Por exemplo, a continuidade dos negócios e as recuperações de desastres são parte integrante de um programa abrangente de resiliência em TI.

    É possível dizer que a resiliência em TI contribui de três maneiras principais:

    1. A resiliência é abrangente. Em vez de se concentrar apenas em preocupações operacionais específicas, a resiliência adota uma abordagem mais ampla. A resiliência em TI também considera a organização geral e o contexto em que ela opera.
    2. A resiliência se concentra na prevenção. Tanto a recuperação de desastres quanto a continuidade dos negócios são estruturas que entram em ação quando surge um problema. No entanto, a resiliência em TI, enfatiza a prevenção de problemas, garantindo que nada dê errado em primeiro lugar.
    3. Resiliência é sobre excelência. A resiliência em TI vai além de corrigir e prever problemas de tecnologia, sejam eles presentes ou futuros. Ela enfatiza o desempenho superior e exige agregação de valor, melhoria e crescimento diário, não importa o ambiente.

    Como estabelecer a resiliência em TI

    Cada organização deve ter um programa de resiliência em TI exclusivo, dependente de fatores operacionais e ambientais específicos. No entanto, é possível sugerir que tal programa inclua alguns princípios fundamentais:

    • A preparação e a descoberta visam entender o ambiente operacional, quais ferramentas tecnológicas uma empresa mais confia e onde estão os riscos reais.
    • Uma estratégia de resistência para reduzir as chances de que circunstâncias difíceis, adversas e imprevisíveis causem um grande problema nas operações de negócios.
    • Planejar a resposta e a recuperação se um evento catastrófico levar as operações de negócios além do que ela pode suportar.
    • Buscar oportunidades por meio da resiliência para que a organização aproveite as circunstâncias difíceis e as mudanças do mercado para se antecipar aos concorrentes.
    • Adotar uma abordagem holística, olhando além dos sistemas de tecnologia e das operações diárias para considerar a reputação do negócio, oportunidades de crescimento e riscos para os concorrentes.

    As ferramentas e medidas que permitem a resiliência em TI podem incluir a redundância de tecnologia prática e adequada. A resiliência em TI também requer estratégia, como a capacidade de adaptar as operações, se necessário, rapidamente.

    No entanto, a resiliência em TI não se trata apenas de definir ou implementar medidas, é um processo contínuo que requer envolvimento no nível mais alto.

    A importância da resiliência em cloud computing

    Resiliência é a prática de planejar possíveis interrupções do serviço de tecnologia em uma empresa, levando em consideração todo o cenário de ameaças da era moderna.

    De fato, um plano de continuidade de negócios deve ter em seu núcleo uma estratégia para garantir operações contínuas. E nesse cenário moderno de forças de trabalho remoto, os funcionários devem ter a capacidade de trabalhar de qualquer lugar, mas com segurança. A resiliência em cloud computing capacita esse objetivo.

    A resiliência em cloud computing depende do alinhamento estratégico e da conscientização de um cenário de ameaças em rápida evolução. Um exemplo de resiliência está em testar um programa de recuperação de desastres para ter certeza de sua capacidade de recuperação. 

    Aqui, as equipes de tecnologia avaliam a resiliência do armazenamento ou da rede contra cenários inesperados, como falta de energia, perda de conectividade ou falha de hardware.

    Como se garante que os dados estejam protegidos contra possíveis perdas? A resiliência, especialmente em cloud computing, visa garantir às unidades de negócios que os dados serão protegidos e recuperáveis.

    Mas a resiliência em cloud computing não para por aí. A crescente prevalência de ataques cibernéticos na forma de phishing e ransomware aumentou a pressão sobre os departamentos de tecnologia para planejar possíveis ataques em seus negócios.

    Portanto, muitas organizações têm procurado a Recuperação de Desastres como Serviço (DRaaS) combinada com Backup como Serviço (BaaS) para garantir aos interessados ​​a capacidade de recuperação após um ataque desse tipo.

    Resiliência e cultura: o segredo na era digital 

    A resiliência na era digital transcende a tecnologia. Tal como acontece com a maioria das iniciativas bem-sucedidas, o impulso para a resiliência começa na alta direção. E uma comunicação transparente da liderança para todos os níveis da organização é essencial. 

    Desenvolver a capacidade de colaborar por meio de canais digitais é absolutamente crítico – em uma crise, as pessoas querem ver sua liderança, mesmo que seja apenas em uma tela. Eles querem a garantia de que há uma aparência de normalidade. E isso começa no topo.

    Mas, essa atitude quer dizer mais do que comunicação. A equipe executiva precisa capacitar a força de trabalho para operar de forma independente e dinâmica e construir pontes em vez de silos. 

    O DevOps entra em cena aqui, com sua metodologia técnica e cultural que facilita a capacidade de planejar dinamicamente, atrair os recursos certos no momento exato e eliminar as hierarquias o máximo possível.

    A própria natureza do DevOps é operar entre silos, e ter essa mentalidade ágil é a chave para o sucesso na era digital. É preciso uma equipe com as mesmas informações e os mesmos objetivos para desenvolver o planejamento financeiro, de instalações e de operações que será utilizado caso algo aconteça. A partir de um trabalho sinérgico que se constrói um ambiente resiliente. 

    Mas lembre-se, você pode ter as melhores ferramentas colaborativas e ainda não acertar. Resiliência é uma atitude. As ferramentas podem ajudar, mas trata-se realmente de desenvolver uma cultura que permita a tomada de decisões dinâmicas em nível de equipe.

    Gostou do tema? Confira outros conteúdos no nosso blog!