<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    Depois de 5 anos de espera, finalmente a Red Hat anunciou a sua nova versão, o Red Hat Enterprise Linux 8.0. O anúncio foi feito durante o Red Hat Summit 2019, realizado na cidade de Boston, e trouxe uma série de melhorias que vão ao encontro das demandas que as empresas imersas na transformação digital necessitam.

    O objetivo dessa atualização é entregar a melhor experiência empresarial Linux para atender às demandas de tecnologias das empresas que estão em franca evolução. Para que isso seja possível, o sistema traz a implantação de novas cargas de trabalho do Linux que atuam desde a produção até a implementação de estratégias relacionadas à transformação digital.

    Quer saber tudo sobre o lançamento do Red Hat 8 e como ele muda o paradigma da transformação digital? Continue lendo!

    Quais foram os destaques dessa nova versão do sistema operacional Linux?

    Com demanda crescente por recursos em nuvem e desenvolvimento do IoT (Internet das coisas), há maior exigência de que o sistema operacional pense de maneira colaborativa. Hoje, esses ambientes precisam unir recursos híbridos que conectem sua rede local à nuvem.

    Com isso, o Red Hat Enterprise 8 nasce em um mundo em transformação e propõe resolver esses novos problemas. O sistema dá grande enfoque em ferramentas para desenvolvedores e o aumento de ferramentas DevOps exige que o sistema esteja preparado para atender a uma demanda contínua de recursos.

    Foi lançado o Red Hat Smart Management, uma ferramenta poderosa que auxilia no gerenciamento de ambientes em diversos níveis. Ela conta com o Cockpit, um recurso que permite a coleta de dados do sistema via interface Web.

    Quais foram os recursos implementados que não haviam na versão anterior?

    O Red Hat 7 foi lançado em 2014, e cinco anos são uma eternidade quando falamos de tecnologia. Sendo assim, a versão 8 nasce com foco em unir recursos em todos níveis de infraestrutura. Veja abaixo os principais recursos:

    • grande foco em containers, conta com ferramentas podman, buildah, skopeo e runc. Kernel versão 4.18;
    • novo backend Firewall, passando a usar NFTables;
    • aprimoramento no suporte arquitetura ARM;
    • GNOME 3.28 com Wayland;
    • Application Streams para gerenciamento de pacotes.

    Quais foram as melhorias apresentadas na consistência operacional?

    O Red Hat procurou reduzir a complexidade no RHEL 8, que vem com dez anos garantidos de suporte corporativo. Seu modelo envolve repositórios para o sistema operacional básico, bem como fluxos de aplicativos para opções flexíveis de ciclo de vida que oferecem várias versões de bancos de dados, linguagens, compiladores e outras ferramentas para facilitar o uso do RHEL para modelos de negócios.

    Os padrões incorporados no RHEL 8 incluem perfis ajustados para opções de banco de dados e funções do sistema que visam o fornecimento de uma interface de configuração comum — garantindo padronização e confiabilidade.

    O Red Hat Insights — ferramenta que permite aos administradores de sistemas fazerem análises, automação de máquinas e os controles de automação — está agora incluído no RHEL 8, junto a um recurso de gravação de sessão, que pode gravar e reproduzir sessões de terminal de usuário para melhorar a segurança e os recursos de treinamento.

    E-book Gratuito: Data Center Virtual

    Quais melhorias foram apresentadas no quesito segurança?

    Para melhorar a segurança, foram adicionados ao RHEL 8 alertas de compilador padrão e a análise de código estático, para que o desenvolvedor possa criar códigos de forma mais segura.

    A Red Hat também procurou facilitar o trabalho com cartões inteligentes e módulos de segurança de hardware (HSMs), usando configurações centralizadas PKCS # 11. Por exemplo, o OpenSSH ou o Apache Web Server podem ser mais bem protegidos usando essas opções.

    O RHEL 8 oferece fortes políticas de criptografia (para atender a uma série de padrões de segurança). O Transport Layer Security (TLS) 1.3 é um padrão de todo o sistema para criptografia de dados, já que o TLS 1.2 é considerado muito lento para os aplicativos atuais. O SELinux foi aprimorado para obter melhores controles em arquivos e diretórios e é ativado por padrão no RHEL 8.

    As tags de ID do software (SWID) no RHEL 8 podem ajudar a executar o gerenciamento de inventário de software e a aplicar listas de permissões de aplicativos em toda a empresa, permitindo que apenas programas confiáveis ​​sejam executados. Além disso, o uso do Trusted Platform Module (TPM) pode ajudar a garantir a integridade do software principal para evitar falsificações ou atividades mal-intencionadas.

    Quais foram as melhorias em relação ao ambiente de nuvem?

    Em relação ao ambiente de nuvem, o RHEL 8 inclui opções mais modernas para melhor estabilidade, flexibilidade e desempenho com contêineres e imagens. Docker, podman, buildah e skopeo foram todos referenciados como opções para trabalhar com contêineres e imagens no ambiente RHEL 8.

    A criação de imagens foi apresentada como outro benefício do RHEL 8, que permite a criação automatizada de imagens personalizadas do RHEL OS, que podem acelerar as opções de implantação.

    O RHEL 8 facilita a criação de imagens padrão — também conhecidas como master — para todo tipo de cenário, desde construções bare-metal até nuvens públicas. Esse é um elemento-chave, pois fornece uma opção de escalabilidade para envolver diversas plataformas, abrangendo o local para a nuvem.

    Virtualização Red Hat

    O Red Hat Virtualization (RHV) 4.3 é a mais recente versão de virtualização da Red Hat e pode ser comparado ao ambiente de virtualização VMWare. Nessa versão, como em todas as versões tradicionais, o ambiente depende de computação, rede e armazenamento, e a Red Hat otimizou todos esses recursos.

    Quais foram as melhorias relacionadas ao desempenho?

    Entre as melhorias relacionadas ao desempenho, podemos destacar:

    • suporte ao Red Hat Enterprise Linux (RHEL) 8;
    • atualizações simplificadas de driver ou firmware, que visam facilitar a instalação e manutenção de hardware;
    • instalação de agentes de monitoramento de hardware para analisar e relatar problemas;
    • personalização fácil e gerenciamento de configurações, que auxiliam a implantação e dão suporte a sistemas virtuais de maneira mais oportuna;
    • o Anaconda fornece uma ferramenta de instalação comum para o Red Hat Enterprise Linux e o Red Hat Virtualization, para agilizar o funcionamento dos hosts virtuais;
    • plug-in do Cockpit — uma ferramenta de administração do Linux simples e leve, baseada na Web, fornece ajuste específico do host, acesso para solução de problemas e acesso ao host;
    • modos de recuperação de desastres ativo/ativo e ativo/passivo, que visam a manutenção dos ambientes virtuais on-line;
    • um painel avançado do sistema oferece uma visão geral da utilização de recursos da CPU, memória e de armazenamento. Os administradores podem tomar decisões mais rápidas e acelerar as operações;
    • as políticas de migração avançadas permitem o ajuste fino das características de migração granular em um nível de VM ou de cluster. Essas políticas fornecem migração em tempo real aprimorada de VM de alto desempenho.

    Quais são as melhorias no armazenamento?

    Funcionalidade de armazenamento aprimorada usando domínios — managed block storage, ou armazenamento de bloco gerenciado, na tradução literal. Os domínios de armazenamento gerenciados permitem que o Red Hat Virtualization se conecte ao Cinder, usando o CinderLib, para conectividade e funcionalidade de armazenamento.

    O storage image uploader permite o upload de imagens de discos locais ou remotos para um domínio de armazenamento, por meio de uma interface de usuário baseada em navegador ou uma API.

    Como vimos, o Red Hat Linux 8 ampliou a capacidade de atuação das empresas, entregando ferramentas que permitem a integração com elementos da transformação digital, que vão desde a computação em nuvem, passando pela internet das coisas e inteligência artificial. Um dos destaques, é o foco no desenvolvimento e implantação de sistemas integrados.

    Para as empresas e clientes da EVEO Cloud, as vantagens da atualização são: suporte aprimorado ao hardware e otimização para ambientes virtuais e containers, que deixam a sua empresa preparada para atender às demandas e para as mudanças contínuas.

    Gostou do post? Quer saber como a sua empresa pode contratar esse produto? Entre em contato com nosso time comercial, a equipe estará pronta para indicar melhor opção de upgrade.