<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    Para ter competitividade no mercado, as empresas precisam ser rápidas ao tomarem decisões estratégicas. Além da agilidade, outros fatores influenciam no processo, como a precisão e a veracidade das informações analisadas. Por essa razão, a cultura data driven é uma tendência cada vez mais adotada, inclusive por pequenas e médias empresas.

    Entretanto, para aproveitar ao máximo seus benefícios, é preciso entender sua importância no contexto da empresa e como ocorre seu funcionamento. Só assim as informações podem ser utilizadas com segurança e precisão para garantir mais lucratividade e crescimento ao negócio.

    A seguir, mostramos o que é data driven e de que forma ela funciona, além de dicas sobre como implementar a tecnologia em uma PME. Continue a leitura!

    Saiba o que é data driven

    A cultura data driven consiste na utilização de dados reais para tomadas de decisões estratégicas na empresa. Atualmente, há uma enorme quantidade de informações a serem analisadas, que são extraídas de diferentes fontes e com os mais variados formatos.

    Para ganhar agilidade e eficiência no uso dos dados, é preciso contar com o apoio de ferramentas de big data analytics. Essa tecnologia será responsável pelo processamento e pela transformação das informações, de forma que seu resultado possa ser utilizado pelo negócio em tomadas de decisões.

    O crescimento do uso de tecnologias como a cloud computing facilitou o acesso a softwares e ferramentas que podem ser utilizadas como serviços. Ou seja: a empresa paga por aquilo que usa, o que possibilita a pequenos e médios negócios desfrutarem esses recursos sem que seja preciso fazer um grande investimento em tecnologia.

    Entenda sua importância para o negócio

    Ao tomarem decisões a partir de dados reais, as empresas ganham uma enorme vantagem competitiva. Isso porque a base não será intuição ou instinto, mas sim estudos realizados por meio de informações reais, que possam ser aproveitadas para diversas finalidades no negócio.

    Como resultado, as empresas conseguem analisar e antecipar tendências, além de minimizarem riscos, o que garante maior competitividade. Outro resultado possível é a melhora nas vendas, por meio do mapeamento das preferências dos clientes, por exemplo. Além disso, a tecnologia pode ser aplicada em várias áreas e com finalidades específicas em cada uma delas.

    Entre os benefícios que a análise de dados reais proporciona ao negócio, podemos destacar:

    • mais agilidade nas tomadas de decisões;
    • maior eficiência operacional;
    • facilidade em identificar e quantificar as oportunidades de mercado;
    • identificação de riscos;
    • melhor entendimento sobre o comportamento do cliente;
    • identificação de problemas nos processos internos da empresa.

    Essas vantagens permitem que a empresa responda positivamente às pressões do mercado e, com isso, adquira vantagens competitivas. Os clientes também ganham, pois tudo contribui para uma melhor qualidade no atendimento ou na prestação de serviços.

    Veja o que fazer para implementar a cultura data driven em uma PME

    Para a adoção da cultura data driven, é importante explorar a tecnologia. No entanto, não basta simplesmente implantar uma ferramenta: é preciso planejar uma série de ações para garantir o sucesso de sua utilização.

    1. Defina um objetivo

    O primeiro passo envolve a definição de um objetivo. É preciso saber o que se pretende atingir, bem como o tempo de retorno dessa meta, portanto estabeleça quais indicadores de desempenho (KPIs — Key Performance Indicators) serão avaliados de tempos em tempos. Dessa forma, ficará mais fácil analisar seu progresso.

    E-book Gratuito: Data Center Virtual

    2. Identifique as áreas-chave

    Com base no objetivo, defina quais são as áreas da empresa envolvidas diretamente no seu alcance. Tal identificação é importante para auxiliar no processo de coleta das informações.

    Nesse momento, também é preciso escolher quais serão os dados analisados e suas origens. Por exemplo: a análise de conteúdos capturados nos sistemas de gestão do negócio, como ERPs ou CRMs, é uma excelente estratégia para avaliar e melhorar os processos internos da empresa.

    Entre as fontes de dados utilizadas, estão as informações comportamentais — obtidas por meio da análise do rastreamento de interações dos clientes, como em redes sociais ou lojas virtuais. Outra possibilidade interessante é o uso de pesquisas sobre a análise da concorrência.

    3. Faça o mapeamento dos dados

    O mapeamento dos dados é importante para identificar, com clareza, como as informações são utilizadas na empresa. Portanto, é preciso classificá-los quanto a questões como:

    • origem;
    • quem consome esses conteúdos;
    • de que forma são empregados;
    • para que tipo de decisão se mostram relevantes;
    • onde estão armazenados.

    4. Escolha a ferramenta adequada

    Para a coleta e o processamento dos dados, deve-se contar com o apoio de ferramentas tecnológicas. Existem opções no mercado que proporcionam uma excelente relação custo-benefício, além de serem fáceis de usar.

    5. Faça a democratização dos dados

    Um ponto crucial para a implantação da cultura data driven é a democratização dos dados. Isso significa possibilitar que todos na empresa tenham acesso à maior parte das informações, com exceção das confidenciais.

    Tal acesso serve para garantir mais agilidade e eficiência à análise de informações e às tomadas de decisões. A espera por autorizações de acesso pode significar o uso de dados desatualizados.

    Outro ponto importante nesse processo é promover a comunicação interna entre os funcionários. Eles devem entender a urgência e a prioridade no acesso às informações.

    6. Analise os dados coletados

    A análise dos dados coletados deve considerar os indicadores de desempenho que serão avaliados. Eles são responsáveis por guiar esse processo, fornecendo os elementos necessários para indicar o ponto em que a empresa se encontra e a quantos passos está de alcançar o objetivo proposto.

    7. Transforme a informação obtida em ação

    Depois que todos os dados foram escolhidos e analisados, chegou o momento de transformá-los em iniciativas. Deve-se assegurar que, após a tomada de decisão, as ações adequadas para colocá-la em prática sejam seguidas. Essa é a maneira de garantir que o objetivo proposto seja atingido.

    Implantar a cultura data driven em uma PME ajuda na obtenção de uma maior vantagem competitiva e no destaque entre os concorrentes. A utilização de dados reais para a tomada de decisão permite que a empresa tenha uma visão atualizada de sua situação e do mercado, para que possa agir com mais segurança e eficiência.

    Gostou deste conteúdo sobre tecnologia para PMEs? Então, confira também nosso guia completo sobre data center para empresas!