<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    A modalidade de trabalho home office está se tornando uma tendência, que vem sendo adotada pela maioria das empresas, criando um cenário cloud no Brasil. Os colaboradores conseguem realizar as suas atividades a partir de equipamentos e dispositivos eletrônicos nos quais são instaladas ferramentas tecnológicas. Mas o uso da Internet acaba gerando riscos potenciais à segurança dos negócios.

    Neste conteúdo, vamos apresentar um guia completo para você conseguir garantir a segurança do trabalho no home office incluindo as práticas que devem ser adotadas e as ferramentas capazes de otimizar os resultados. Além disso, vamos falar a respeito dos principais desafios enfrentados pelas empresas que estão desenvolvendo atividades por meio dessa modalidade e sobre o atual cenário da pandemia.

    Aqui, você vai descobrir por que é importante manter todos os processos seguros e quais são os riscos de não investir em segurança. Entenda ainda quais são os pilares do home office seguro e detalhes sobre monitoramento de tráfego, conexões e sistemas, auxílio aos colaboradores, criptografia de dispositivos, autenticação de dois fatores, alteração de senha padrão, controle de acessos etc.

    Deseja saber quais são as ferramentas que podem ajudar e quais erros comprometem a segurança no home office? Siga em frente!

    1. Desafios de segurança do home office

    O home office é realidade em muitas companhias que atraem e retêm talentos pertencentes às novas gerações que nasceram a partir dos anos 80. Essas pessoas tiveram contato com a Internet e acompanharam o desenvolvimento das tecnologias, por isso apresentam características peculiares. Elas são dispostas a trabalhar de qualquer lugar desde que tenham acesso a computador e ferramentas tecnológicas.

    No entanto, existe uma preocupação na área empresarial referente à segurança das informações nos casos em que os colaboradores estão fora da rede corporativa. Este um grande desafio, pois com a publicação da Lei Geral de Proteção de Dados nº 13.709/18 (LGPD), se houver vazamento de dados as instituições podem sofrer multas pesadas.

    Os demais desafios referem-se ao estabelecimento de processos para conferir segurança à realização do trabalho remoto. Os empresários podem exigir o uso de um único dispositivo para a realização dos serviços e restringir o acesso à tela do notebook após determinado horário, por exemplo. Observe alguns desafios relacionados à segurança do home office:

    • fazer investimentos em uma VPN (Virtual Private Network);
    • criptografar os dispositivos;
    • proteger os clientes contra hackers;
    • identificar vulnerabilidades na rede;
    • realizar o armazenamento seguro dos dados.
    • aderir a autenticação de dois fatores em aplicativos online.

    Não é tarefa fácil acompanhar o que os clientes compartilham nas redes sociais para impedir que pessoas más intencionadas se façam de amigas e obtenham informações sigilosas. Por outro lado, os investimentos ultrapassam a dispensação de recursos dirigidos à aquisição de acesso em plataformas. Um sistema de prevenção de intrusões (ISP) e outras tecnologias direcionadas à segurança precisam ser adquiridas.

    Profissionais especializados devem trabalhar para identificar e corrigir vulnerabilidades, ou um ataque cibernético pode causar verdadeiros desastres às finanças. Eles precisam ser capacitados e experientes para impedir que invasores acessem os sistemas corporativos e roubem informações para vender aos concorrentes ou cometer outros atos ilícitos que geram consequências graves.

    Quando os colaboradores utilizam infraestrutura cloud ou rede privada virtual, o setor de Tecnologia da Informação fica responsável por monitorar os dispositivos. Outra responsabilidade é o bloqueio de informações para que elas jamais possam ser transferidas da nuvem para a memória dos equipamentos, bem como o monitoramento de segurança da informação e a superação dos hackers.

    2. Importância de se preocupar com a segurança do home office

    É importante se preocupar em manter todos os processos seguros, ou a sua empresa poderá sofrer ataques cibernéticos e ter os seus dados vazados. Muitas organizações conhecidas já passaram ou estão passando por entraves do gênero, e os efeitos são muito negativos.

    Além de perder o prestígio diante dos seus clientes, elas foram condenadas a pagar pesadas quantias a título de multas e indenizações. O acesso às informações privadas das pessoas por indivíduos que não tem nenhuma relação com as instituições aponta a existência de falhas em seus sistemas e abala a credibilidade de uma marca.

    A situação se torna pública rapidamente e a clientela migra para a concorrência por não ter confiança, já que as pessoas comuns nunca conseguem ter certeza de que o ocorrido não se repetirá. Ninguém sabe se os dados vazaram por acidente, por falha humana ou pela contratação de funcionários de má índole.

    Desse modo, o medo da efetivação de fraudes leva milhares de pessoas a optar por concorrentes. Afinal de contas, ter as informações dos documentos pessoais roubados e dados bancários utilizados por pessoas estranhas é algo inaceitável. Por este motivo, as empresas têm o dever de aprimorar a segurança dos seus sistemas.

    3. Riscos de segurança no home office

    Os perigos na segurança nesta modalidade de trabalho são enormes e variados. A perda das informações ocorre de diversos modos, pode ser um erro no sistema que acaba excluindo arquivos, os quais não têm cópias em local seguro. O roubo das senhas via Internet realizada por indivíduos que tenham o objetivo de prejudicar o negócio ou obter lucros ilícitos com o furto dos equipamentos da empresa.

    A Lei nº 13.467/2017 incluiu as atividades relativas ao home office na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), em seus Artigos 75-A até 75-E para regularizar essas relações trabalhistas que já existiam de maneira informal. Essa foi uma medida relevante para tornar compatíveis as esferas pessoal e profissional dos colaboradores. e também para propiciar a redução e de despesas para as empresas.

    Já a LGPD veio para regulamentar o tratamento dos dados pessoais e conferir proteção e privacidade aos cidadãos. Essa legislação é aplicável a todos os times de trabalhadores que laboram home office ou por meio de trabalho remoto. Quando os colaboradores acessam e modificam informações em ambientes fora da corporação, os empresários não conseguem controlar a segurança desses locais.

    Um dos maiores temores dos líderes empresariais é o roubo dos dados por outras pessoas que acessem esses lugares fisicamente ou virtualmente. Uma casa é mais insegura e vulnerável do que um estabelecimento que conta com implantação de software e servidores de última geração. Sem falar que as empresas geralmente adquirem serviços de segurança e são protegidas contra assaltos e outros crimes.

    Os riscos de furto dos dados confidenciais de um negócio são obviamente elevados, diversificados e amplos. Mas o trabalho remoto não necessariamente oferece perigos, apesar de expor as informações manipuladas pelas instituições e os dados pessoais do colaborador. Acompanhe os principais riscos de segurança que permeiam as atividades home office:

    • vulnerabilidades online;
    • ferramentas novas e inseguras;
    • exposição dos dados pessoais;
    • perfis nas redes sociais;
    • ausência de suporte técnico;
    • empréstimos de equipamentos para terceiros.

    Regras devem ser criadas para as mais diversas situações que acontecem nos lares desses trabalhadores para evitar o acesso de terceiros aos dados. Muitos colaboradores podem ter comportamentos negligentes em relação à segurança pela crença de que a Internet está mais segura na atualidade. Eles correm o risco de abrir mensagens que contém anexos de correspondências desconhecidas por meio do e-mail corporativo na nuvem e de utilizar os dispositivos para questões pessoais.

    Por outro lado, existem vizinhos que sequestram as conexões de Wifi de modo totalmente antiético. Outro fator que expõe os dados é o acesso aos arquivos empresariais a partir de equipamentos pessoais e desprotegidos ou a falta de soluções de infraestrutura e de técnicos especializados para prestar suporte como acontece nas organizações que têm as vantagens cloud server.

    4. Pilares do home office seguro

    Todavia, é possível adotar os pilares do home office seguro e eliminar as chances de riscos nessas atividades que fazem parte do dia a dia de muitas pessoas. O home office é uma excelente oportunidade para trabalhadores que já se adaptaram a trabalhar sem se locomover e não desejam enfrentar o tráfego intenso do trânsito.

    As tarefas são realizadas a partir de equipamentos conectados à Rede Mundial de Computadores. Por este motivo, algumas medidas devem ser tomadas para dar garantia de segurança e impedir o ataque de hackers ou a perda dos dados.

    Isso gera custos e responsabilidades, os quais são esclarecidos antes da adoção do formato home office, tais como os dispositivos a serem usados, o suporte técnico oferecido, o acesso às informações etc. Veja a seguir os pilares do trabalho remoto seguro sugeridos para a proteção dos dados empresariais!

    Gestão de responsabilidades

    É indispensável que ocorra o estabelecimento de tarefas e obrigações conforme os objetivos da empresa. Um profissional deve ser designado para monitorar processos de recuperação, realizar cópias de segurança e controlar as tecnologias utilizadas durante os horários de trabalho.

    Controle dos equipamentos

    Há uma variedade considerável de dispositivos sendo disponibilizados no mercado. Apenas os aparelhos que contenham ferramentas adequadas para a segurança das informações podem ser adotados. Um computador exclusivo que conte com sistema operacional atualizado e uma solução de segurança são fundamentais.

    Proteção contra ameaças codificadas

    Para que as informações não sejam expostas ou afetadas por códigos maliciosos, os equipamentos deve ter um sistema de segurança específico de detecção proativa. As infecções são evitadas de os dispositivos pertencem à empresa e os colaboradores utilizam ambientes virtuais para o trabalho.

    Monitoramento de tráfego

    Já que os equipamentos acessam a rede fora das estruturas físicas das instituições, torna-se crucial o acompanhamento do tráfego gerado. Deve-se realizar o monitoramento de tentativas de acesso não autorizado aos servidores corporativos, fazer a verificação se elas foram bem-sucedidas, se falharam ou se downloads foram efetivados.

    Segurança das conexões

    A ferramenta virtual machine é uma excelente opção para a implantação de um sistema operacional interessante. A conexão dos computadores às redes privadas de Internet para o acesso de ferramentas corporativas é mais segura com as tecnologias VPN. Essa é a mais adequada por ser realizada por meio de aplicativo que estabelece a ligação e autentica o nome do usuário e a senha criando um canal criptografado.

    A senha do Wifi de quem trabalha home office não pode ser aquela padrão fornecida pelo fabricante, pois ela é muito conhecida e permitem o acesso dos invasores. Dessa forma, um procedimento de alteração do código deve ser realizado pelo celular ou computador, com o endereço do Internet Protocol (IP) do roteador e os dados de login.

    Política de segurança

    A criação de regras e obrigações relativas às tarefas deve ser registrada em documento. A política define quais são as ações e quem poderá executá-las, por exemplo, a modificação da base de dados e a visualização de relatórios. As responsabilidades variam conforme as definições da empresa e de acordo com o que elas podem ou não controlar.

    Auxílio dos colaboradores

    Tudo se torna mais fácil com a colaboração dos funcionários, que reagem pela conscientização sobre os riscos aos quais estão expostos e ao saberem como o acesso aos dispositivos pode ser mais seguro. Se eles compreenderem que os equipamentos são a porta de acesso para todos os dados da empresa e entenderem os perigos de uma possível invasão, poderão eliminar condutas ariscadas e antiéticas.

    Dependendo do porte da empresa, a adoção de cloud computing pmes é fundamental. Poderá ser utilizada uma solução de e-mail corporativo, desde que as regras sejam seguidas e as informações confirmadas pelos remetentes de correspondências eletrônicas. Antes de dar continuidade nas comunicações, os colaboradores devem observar o cumprimento dos padrões da organização para ter certeza de não fornecer dados para estranhos.

    5. Medidas para aumentar a segurança do home office

    Várias medidas de segurança estão sendo tomadas pelas empresas que admitem a modalidade home office. Um plano de continuidade dos negócios é implementado juntamente do suporte aos colaboradores que fazem o trabalho remoto. Isso confere garantia de que as operações serão mantidas ainda que ocorram problemas inesperados.

    Home office pode salvar as empresas em épocas de pandemia e outras adversidades ocasionadas pelo clima ou pela ausência de energia elétrica na sede física. Porém, a aquisição de dispositivos compatíveis com a rede corporativa precisa ser prioridade para evitar o acesso por equipamentos sem autorização. Páginas inseguras da Web deverão ser bloqueadas, bem como o download de aplicativos.

    Um sistema que facilite a supervisão dos gestores é uma excelente ideia para mitigar os riscos, monitorar a realização de tarefas e verificar o cumprimento de prazos. Além disso, o uso da rede privada virtual fornece proteção por meio da criptografia e permite conexão segura dos dispositivos, ainda que eles sejam manipulados em pontos públicos de Wifi. Confira algumas dicas importantes!

    Atualize os sistemas sempre que necessário

    Somente fazer a instalação de aplicativos e sistemas originais não promove segurança aos ambientes virtuais para o trabalho remoto. As ferramentas necessitam de constante atualização, e isso engloba gadgets, computadores, celulares e outros aparelhos. Os softwares atualizados evitam brechas acessíveis aos hackers e eliminam as chances de vazamento das informações. Esteja sempre atento às novas atualizações desenvolvidas e use fontes confiáveis.

    Tenha uma rede segura

    Os ataques virtuais realizados por pessoas mal intencionadas normalmente chegam pelos roteadores de Internet ou disfarçados sobre formas de notícias impactantes. Com isso, os hackers conseguem roubar as informações dos sistemas, devido à ausência de senhas seguras. Fale com a sua equipe de Tecnologia da Informação para que atue na prevenção contra essas ameaças cibernéticas e evite o acesso dos criminosos.

    Invista em uma VPN

    Adquira soluções na nuvem que já contem com medidas de cibersegurança e ofereçam suporte técnico ininterrupto para casos de desastres virtuais ou invasões. Peça para os profissionais de gerenciamento de TI a criação de uma rede VPN para a troca criptografada das informações organizacionais. Mas preste atenção, não faça uso de VPN grátis, tendo em vista que ela é insegura, um plano pago é o mais indicado.

    Criptografe os dispositivos

    A VPN também é vital para a configuração de criptografia aos servidores. Os técnicos podem repassar um passo a passo para os trabalhadores que deverão seguir as instruções. Desse modo, o acesso remoto aos datacenters da organização torna-se mais seguro e confiável.

    A criptografia interfere no desempenho dos equipamentos não importando qual seja o sistema operacional. Por isso, esse recurso exige uma máquina com excelente processamento para lidar com os códigos. Os logins pessoais devem ser diferentes dos profissionais que permitem o compartilhamento das informações e o fluxo de trabalho.

    Utilize senhas fortes

    Não se descuide das senhas e dos mecanismos de autenticação de dois fatores, já que eles oferecem uma camada extra de segurança aos dados. Evite salvar as senhas no navegador e use senhas que não sejam fáceis de decorar ou prever. Faça a troca das senhas fracas ou antigas mesclando símbolos, letras e números em sequências de 12 dígitos.

    6. Ferramentas de segurança

    Para manter o negócio protegido de imprevistos é importante utilizar ferramentas contra perdas de dados ou invasões de terceiros. Faça uma parceria com um data center e realize o armazenamento das cópias na nuvem. Essa medida auxilia com o acesso remoto aos dados, garante eficiência e protege a infraestrutura.

    Não faça uso do Windows XP ou Windows 7, pois eles não contam mais com o suporte da Microsoft, o que os torna vulneráveis. Utilize o Windows Update no automático e permita a instalação dos itens disponibilizados para download no Windows 10. O Office e o navegador atualizados também protegem os dados confidenciais da empresa.

    Conte com um plano VPN pago para ter privacidade dos dados e garantia de segurança. As alternativas mais utilizadas são IPVanish, Surfshark e ExpressVPN, já que a NordVPN foi hackeada há pouco tempo. Em caso de optar por uma opção gratuita por não necessitar de um nível elevado de segurança, use a VPN integrada ao Opera para computador e a VPN 1.1.1.1 da CloudFare para smartphone.

    Os cofres de senha são excelentes para oferecer tranquilidade aos empresários e colaboradores que trabalham home office. Conheça os cofres digitais 1Password e LastPass para navegador e celulares. As empresas de segurança Pada Security e ESET são as que adotam as senhas mais fortes e ativam a verificação em dois fatores nos seus serviços online. Use leitores digitais.

    As máquinas virtuais oferecem maior segurança para aqueles que trabalham com informações sensíveis. Conte com tecnologia de virtualização de softwares como o Parallels ou da Windows, que fazem o isolamento das ações em um ambiente protegido evitando o acesso por malwares. Backups constantes em Cloud Computing evitam a perda de trabalhos, por isso o OneDrive é uma ótima saída.

    Caso você prefira, pode fazer uso do Google Drive que disponibiliza 15GB grátis e versões pagas com mais espaço para o armazenamento. Alternativas muito conhecidas são o Dropbox ou o Box Drive que oferece espaço ilimitado aos seus usuários. Essas são algumas ferramentas que podem ajudar com as atividades home office, mas saiba que existem muitas outras ao seu alcance.

    Um software de rastreamento pode ser valioso para monitorar os dispositivos móveis perdidos ou roubados. Pombo e Prey são ferramentas gratuitas indicadas para descobrir onde as máquinas ou aparelhos estão localizados. Roteadores sem fio e GPS também localizam equipamentos, e se você preferir pode baixar o aplicativo Ache meu telefone para conseguir fazer a exclusão das informações remotamente.

    7. Erros que comprometem a segurança do home office

    Os trabalhadores precisam ter noção de que o trabalho remoto apresenta riscos por estar fora da cobertura da rede corporativa. Analise abaixo as principais falhas que podem ocasionar danos à imagem da empresa, prejuízos financeiros e à credibilidamde do negócio e outras perdas irreparáveis:

    • permitir que terceiros acessem arquivos confidenciais;
    • emprestar os equipamentos de trabalho para familiares;
    • não adotar as ferramentas atualizadas para a proteção;
    • acreditar que não necessita utilizar rede VPN e criptografia;
    • deixar de se atualizar a respeito de novas soluções;
    • armazenar dados sensíveis em locais inadequados;
    • utilizar dispositivos não seguros para acessar as informações.

    Inúmeros erros podem comprometer a segurança do home office, principalmente quando as demandas aumentam. O setor de Recursos Humanos, os técnicos de TI e os gestores das equipes têm a responsabilidade de alertar os colaboradores para que manipulem corretamente as informações empresariais.

    8. Soluções de infraestrutura de Data Center

    A transformação digital modificou profundamente as relações pessoais e profissionais. Na atualidade são adotadas soluções como Salesforce, Box, G Suite, Office 365 ou aplicações SaaS que facilitam o home office. As empresas estão aplicando gestão de projetos em nuvem e implementando estratégias de segurança, de modo que o antigo data center não é mais o principal ponto de acesso.

    Sendo assim, as soluções de data center que fornecem serviços ou produtos como firewalls, sistemas de armazenamento, roteadores e servidores foram projetados para atender as necessidades de organizações de diferentes portes. Um data center definido por software pode executar cargas de trabalho na nuvem e transferir os dados para outro local de acordo com as configurações.

    As soluções data center oferecem proteção e controle de acesso à rede de Internet e em Cloud, por meio de aplicativos modernos. A infraestrutura em nuvem pode ser gerenciada continuamente e os aplicativos automatizados para conferir agilidade e criação de novas estratégias, como uma base digital unificada.

    Enfim, agora você já conferiu o guia para aumentar a segurança no home office e já entendeu o que precisa fazer para garantir a segurança da sua empresa. As soluções de infraestrutura de data center oferecidas pela EVEO Cloud, empresa especializada no ramo, são muito úteis e geram diferenciais incomparáveis. As soluções são customizadas de acordo com as demandas dos seus clientes, incluindo servidor dedicado e pacotes específicos.

    Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Entre em contato conosco e receba outras dicas para ter sucesso na alavancagem dos seus negócios!