<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    “Cloud” é um termo abrangente que se refere a uma variedade de formas cada vez mais populares para implementar serviços de software, plataformas e infraestruturas de TI hospedados na internet. Esse tipo de armazenamento vem crescendo  cada vez mais e pelo menos três modalidades estão se popularizando no mundo corporativo.

    De modo geral, as organizações podem fazer uso das três modalidades, mas você conhece as particularidades de cada uma? Melhor, sabe qual alternativa é mais adequada para o seu negócio? O nosso intuito nesse post é responder estas perguntas. Então continue lendo e tire todas as suas dúvidas a respeito.

    Por que o cloud vem sendo tão procurado?

    O armazenamento e a operação de programas em nuvem traz diversas vantagens, como a liberação de espaço na memória física do computador e o fato de poder ser acessado de qualquer lugar no mundo, com as informações e dados intactos. Não é à toa que, hoje em dia, praticamente 80% das empresas já realizam pelo menos parte das suas atividades através do cloud computing.

    Com o desenvolvimento da tecnologia e a popularização desse tipo de operação, foram desenvolvidas nuvens em modalidades diferentes, com características e vantagens muito específicas. Basicamente, existem três tipos de nuvem mais conhecidos atualmente: a nuvem pública, que é o modelo mais comum; a nuvem privada, mais utilizada pelas empresas; e a nuvem híbrida que é estrategicamente montada de forma a combinar características das duas nuvens anteriores (pública e privada).

    Vamos ver agora as características e benefícios de cada modalidade:

    Nuvem pública

    A nuvem pública é aquela em que os serviços e a infraestrutura são fornecidos por terceiros. As ferramentas, recursos e espaços são compartilhados e gerenciados por provedores de serviços que os entregam aos clientes através de uma conexão segura via internet.

    Possui característica multitenancy (multi-inquilino), o que significa que o provedor executa a solução em um ambiente compartilhado, dividindo os dados e estruturas de cada cliente para garantir a segurança. Os ambientes são mais padronizados e com pouca liberdade para personalizações. Os exemplos mais comuns de nuvem pública são o Google Cloud Platform (GCP), Microsoft Azure e Amazon Web Services (AWS).

    No caso do Azure e AWS, os serviços são importados, uma vez que os provedores fazem a cobrança via cartão de crédito internacional, em dólar. Com isso, a empresa contratante fica sujeita a legislação brasileira para importação de serviços, sendo necessário recolher todos os impostos de importação, que podem encarecer o preço final em mais de 50%.

    Vantagens da nuvem pública

    Os principais benefícios da nuvem pública incluem a velocidade com que você pode implantar recursos de TI e a possibilidade de pagar apenas pelos recursos do servidor que usa. Por ser mantida pelo provedor e amplamente compartilhada, ela é mais acessível a diversos tipos de empresa. Além disso, ela é muito passível de personalização, pois, como já mencionamos, você paga apenas pelos serviços que você utiliza.

    Ao compartilhar os custos da infraestrutura com vários usuários, cada um pode tirar proveito dos melhores recursos a preços mais acessíveis. Além disso, devido ao grande tamanho da estrutura, pode ter a escalabilidade que precisa para atender picos de demanda e retrair para o tamanho original conforme a necessidade. Tudo em questão de minutos. Também não há necessidade de se preocupar com manutenção, uma vez que ela é responsabilidade do servidor.

    Outra vantagem é um amplo leque de opções de servidores, desde o Google até outros menos conhecidos. Isso dá a empresa a possibilidade de escolher uma nuvem que esteja dentro de suas possibilidades, e que também atenda da forma mais satisfatória às suas necessidades. E por serem servidores muito grandes, eles costumam ter poucos problemas com falhas de funcionamento e serem bastante seguros.

    Desvantagens da nuvem pública

    A principal desvantagem da nuvem pública é que ela tem possibilidades limitadas de personalização. Assim, se a empresa tem regras mais rígidas de conformidade e normas de segurança, fica mais difícil utilizar esse modelo de nuvem. Portanto, não seria o mais adequado para essas demandas.

    Quando a nuvem pública é mais indicada?

    • quando existem sistemas SaaS (Software as a Service) de um fornecedor que entrega uma estratégia de segurança bem implementada;
    • quando necessita de capacidade incremental e escalabilidade momentânea para suportar picos de acesso;
    • quando se quer criar um ambiente de desenvolvimento e testes tecnológicos;
    • quando o negócio possui carga de trabalho padronizada para aplicativos usada por muitas pessoas;
    • quando precisa desenvolver e testar códigos de aplicações com frequência;
    • quando a empresa participa de projetos de colaboração;
    • quando os recursos para investimento em TI são relativamente limitados.

    Nuvem privada

    A nuvem privada é uma infraestrutura dedicada inteiramente a hospedagem de determinada empresa ou projeto. Dessa forma, ele é feito de forma totalmente personalizada para atender às demandas específicas da atividade da empresa que encomenda a sua instalação, e não é compartilhada com outros inquilinos.

    A maioria das empresas que utilizam a nuvem privada fazem a instalação dentro da própria empresa, ou em datacenters e provedores com infraestrutura instalada fisicamente no Brasil, o que facilita a acessibilidade e deixa a empresa sobre a jurisdição nacional, reduzindo os riscos jurídicos. As cobranças são feitas em moeda local (Real) por meio de mensalidades e geralmente possuem um contrato mínimo mais longo.

    Vantagens da nuvem privada

    Ela oferece toda a agilidade, escalabilidade e eficiência de uma nuvem pública, porém com maiores níveis de controle e segurança, tornando-a ideal para empresas com maiores volumes de operações e com regras e normas rigorosas de dados, regulação e governança.

    Outro benefício fundamental da nuvem privada é a capacidade de personalizar os ambientes, recursos, ferramentas, opções de armazenamentos e rede para melhor atender aos requisitos mais específicos de TI da empresa. Algo que não pode ser alcançado tão facilmente no ambiente de nuvem pública.

    Quando uma empresa escolhe trabalhar com a nuvem privada, por exemplo, ela utiliza o OpenStack de forma personalizada e disponível exclusivamente para o negócio, o que agrega a possibilidade de realização de trabalhos mais avançados e complexos.

    Desvantagens da nuvem privada

    A nuvem privada não é uma opção para qualquer tipo de empresa. Esse modelo possui um alto grau de sofisticação no dimensionamento e capacidade, uma vez que ela é montada especificamente para a empresa em questão, existem muitos detalhes que precisam ser configurados. Por isso, a implementação pode ser um processo um pouco mais longo e a manutenção precisa ser mais constante. Além do fator do preço, que é um pouco mais alto comparado a nuvem pública, justamente por ser uma nuvem mais exclusiva e personalizável.

    Quando a nuvem privada é mais indicada?

    • quando o negócio faz parte de um segmento que deve estar em conformidade com as questões de segurança e privacidade de dados e informações;
    • quando a empresa prefere gerir um Data Center na nuvem de próxima geração com eficiência e eficácia por conta própria;
    • quando o coração da empresa são seus dados e suas aplicações. Neste caso, o controle e a segurança são primordiais, e a nuvem privada torna-se imperativa;
    • quando há o desejo ou necessidade de ter acesso exclusivo aos servidores, storages e rede.

    Nuvem híbrida

    A nuvem híbrida permite combinar a nuvem pública com a privada ou hospedagem dedicada e permite que a empresa se aproveite do melhor que cada tipo de nuvem tem a oferecer para atender às necessidades do negócio mais adequadamente.

    Vantagens da nuvem híbrida

    A empresa pode usar a nuvem pública para realizar as operações não sensíveis, a nuvem privada para operações críticas e incorporar todos os recursos dedicados existentes para alcançar uma solução altamente flexível, ágil e mais econômica.

    Por exemplo: a organização pode executar um aplicativo em sua nuvem privada, mas aproveitar os recursos da nuvem pública para suportar os períodos de picos de demanda por acessos simultâneos. Também pode executar um aplicativo em um ambiente de nuvem pública, mantendo o banco de dados relacionado a este aplicativo em sua nuvem privada por razões de conformidade e segurança.

    Desvantagens da nuvem híbrida

    Ao se pensar em nuvem híbrida, um detalhe importante a se considerar é a compatibilidade entre os dados que estão na nuvem privada e na nuvem pública; é preciso possuir os softwares corretos para assegurar que não haverá erros de comunicação. O preço mais alto em relação a nuvem compartilhada também pode ser considerado uma desvantagem para alguns negócios.

    Quando a nuvem híbrida é mais indicada?

    • quando se tem um site ou sistema hospedado na nuvem, mas deseja manter o banco de dados armazenado localmente;
    • quando a empresa fornece um sistema SaaS, mas se preocupa com maiores níveis de segurança;
    • quando o negócio oferece serviços adaptados para diferentes mercados verticais;
    • quando a organização tem um ambiente dedicado e um banco de dados sigiloso.

    Qual tipo de nuvem é a melhor?

    A maioria dos gestores busca uma resposta simples para essa pergunta, mas não é tão fácil assim. Tudo vai depender do tipo do negócio que tem, do perfil da empresa, do segmento que atende, das necessidades organizacionais etc. Ou seja, todos estes tipos de nuvem são excelentes alternativas, porém cada uma atende melhor uma determinada necessidade ou exigência.

    O ideal é que o gestor de TI da empresa faça uma avaliação minuciosa, comparando as reais necessidades do negócio com as vantagens e melhores situações de uso para cada tipo de nuvem. Assim fica mais fácil escolher o modelo certo sem se arrepender mais tarde. O mais importante nisso tudo é continuar o plano. Afinal, a migração para a nuvem pode proporcionar uma série de benefícios que não dá para ter mantendo as estruturas de negócio no modo off-line ou utilizando datacenter físico.

     

    Aproveite as nossas dicas e escolha a ideal para o seu negócio entre os tipos de nuvem existentes, bem como um fornecedor experiente e confiável. A vantagem competitiva que a sua empresa tanto almeja depende disso.

    Quer saber mais sobre o assunto? Assine a nossa newsletter agora mesmo e receba as próximas matérias diretamente no seu e-mail! E se quiser contar com as melhores opções de infraestrutura em Data Center, venha conhecer a EVEO! Converse com um de nossos consultores e saiba como podemos te ajudar.