<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    Você já deve ter assistido filmes como “O Homem Bicentenário”, “AI”, “Her” ou o famoso desenho “Os Jetsons”, certo? Eles nos deram uma boa ideia de como o nosso futuro poderia ser, mas, agora, a Inteligência Artificial (IA) não é mais só uma obra de ficção científica: trata-se de uma realidade presente em nossas vidas.

    A IA criou formas de oferecer experiências aos clientes e os programas de computador estão se aperfeiçoando cada vez mais, exigindo profissionais com qualificações próprias para atender a demanda.

    Mas o que é Inteligência Artificial? Como ela funciona? Quais são os benefícios, as vantagens e as preocupações que ela gera? E, principalmente, como ela influencia no setor de TI? Pretendemos responder essas perguntas com o post. Confira!

    O que é Inteligência Artificial (IA)?

    A Inteligência Artificial é um sistema de computador que pode realizar tarefas de forma autônoma e sem supervisão humana. Ela ajuda a executar tarefas simples, como definir jogadas em um tabuleiro de xadrez, ou complexas, como pilotar um carro sem motorista.

    O fato é que, seja reconhecendo objetos físicos, identificando pessoas em fotos, traduzindo idiomas ou qualquer outra tarefa já pode ser feita rapidamente por programa de computador.

    E tem mais, o computador pode aprender a fazer tudo isso sozinho, passando a ser tão bom quanto nós, se não melhor. Diferentemente dos humanos, a IA não tem que dormir, não comete o mesmo erro duas vezes e pode acessar e analisar um alto volume de dados em segundos.

    Como funciona a Inteligência Artificial?

    IA é apenas um conceito amplo sobre máquinas operando de forma autônoma. O que torna isso possível são alguns métodos trabalhando em sincronia. Veja agora o que compõe a IA:

    Machine Learning

    Machine Learning (aprendizado das máquinas) é um subconjunto de métodos utilizados na Inteligência Artificial, que envolve ensinar programas de computador a aprenderem por conta própria.

    Isso acontece quando o programa aprende a analisar dados e encontrar sozinho os padrões. Quanto mais dados disponíveis, melhor é a análise e mais o sistema aprende.

    É feito em grande parte com treinamento supervisionado. O reconhecimento de imagens é um ótimo exemplo disso. Ensinar uma máquina a diferenciar um cão de um gato e, depois, uma raça de outra apenas por fotografias, demanda um banco de imagens rico e variado.

    Além disso, precisa treinar a máquina para fazer isso sozinha. Tem que mostrar milhões de imagens de cães e de cada raça primeiro para o programa identificar os padrões e aprender a reconhecê-los sozinho. Quanto mais imagens (dados) ele puder analisar, mais rápido aprenderá e mais precisas serão as respostas.

    Banner E-book Data Center Virtual

    Deep Learning

    O Deep Learning (aprendizado profundo), também compõe o grupo de tecnologias que tornam a Inteligência Artificial possível.

    Ele trabalha lado a lado com Machine Learning, mas atua em um campo mais avançado, trazendo a IA mais próxima do objetivo de permitir que as máquinas aprendam e pensem mais como os humanos, tomando decisões por conta própria.

    Aqui, o programa não precisa ser treinado. Necessita apenas de um banco de dados estruturado para analisar e aprender sozinho, sem supervisão, projetando o futuro, apontando tendências e se moldando automaticamente ao cenário em que está inserido.

    Ou seja, o Deep Learning demanda uma arquitetura mais complexa, imitando as redes neurais de um cérebro humano. Isso dá poder de “pensamento” às máquinas.

    A despeito do fato de que as possibilidades do Deep Learning são grandes, seus requisitos também são altos:

    • banco de dados estruturado: para tornar a análise possível;
    • Big Data Analytics: para encontrar os padrões nas análises automáticas dos dados;
    • alto poder de processamento: para que os resultados sejam apresentados na mesma velocidade que um cérebro humano, ou mais rápido.

    Como a Inteligência Artificial influencia em nosso cotidiano?

    Provavelmente, você usa a IA umas 100 vezes por dia e nem percebe. Por exemplo, o Facebook usa um programa de reconhecimento facial para identificar pessoas nas suas fotos e recomendar que os usuários marquem.

    A IA também funciona quando você usa sites de e-commerce, como a Amazon, ou navega por programas e shows recomendados pela Netflix de acordo com suas preferências.

    Todas essas interações estão sendo realizadas pela Inteligência Artificial. O software analisa suas pesquisas no Google, compras realizadas no passado e entrega produtos que deseja consumir.

    Isso sem falar nos carros semiautônomos. Hoje, eles contam com tecnologias para estacionar sozinhos, piloto automático para você descansar os pés e as mãos enquanto viaja longas distâncias, etc. Indo um pouco mais além, temos os carros totalmente autônomos que o Google vem testando.

    Um carro sem motorista conta com diversos sensores para entender onde está e o que se passa ao redor. Isso inclui velocidade, localização, direção e visão de 360 graus.

    Com base nos dados coletados, o sistema controla o carro, decidindo o que fazer, como e quando virar a direção, mudar de faixa, acelerar, frear e outros comandos.

    Os chatbots também são um exemplo prático. Eles já são muito utilizados por lojas virtuais para estabelecer uma comunicação com os clientes e guiá-los sozinhos até as soluções dos problemas. O atendimento ao cliente está sendo revolucionado com essa tecnologia.

    Como a Inteligência Artificial impacta no setor de TI?

    Mesmo que o computador ainda não seja um dispositivo pensante, é óbvio que isso acontecerá em breve. Isso pode ser concretizado por meio da computação cognitiva, que ajuda a desenvolver mecanismos de previsão comportamental e respostas rápidas para questões específicas e que exigem muito aprendizado.

    Dessa forma, podemos afirmar que uma série de tarefas que ainda são executadas manualmente no setor de TI, passarão a ser realizadas de forma automática em breve, dando maior velocidade a produção e reduzindo o número de erros no processo.

    Na segurança, a análise comportamental de usuários permitirá o sistema identificar tentativas de invasões e o programa deve agir de forma autônoma, criando bloqueios e tornando o acesso cada vez mais difícil aos dados.

     

    Além disso, varreduras serão realizadas periodicamente em servidores, rede, sistemas e dispositivos em busca de bugs e outras falhas que possam resultar em vulnerabilidades.

    O crescimento da demanda por projetos de desenvolvimento de sistemas autogerenciáveis, que fazem suas próprias manutenções e atualizações, bem como a otimização contínua de processos, deve demandar profissionais especializados, uma vez que ainda existem poucos com esse perfil.

    O que esperar da IA para o futuro?

    Os avanços da Inteligência Artificial dividem opiniões e muitas preocupações surgem. Tais como:

    • desemprego em massa;
    • anulação da privacidade humana;
    • máquinas superando e comandando os humanos;
    • programas manipulando os humanos com informações falsas.

    No entanto, não há com o que se preocupar, pois alguns dos maiores líderes em tecnologia e pensadores do mundo estão envolvidos no progresso dessa tecnologia, refletindo inclusive sobre até onde ela pode evoluir.

    O fato é que ela poderá ajudar muito em questões importantes da vida, como a escolha do melhor seguro, vagas de emprego, solicitações de empréstimo e muitas outras coisas, baseando no nosso perfil.

    No geral, a Inteligência Artificial resolverá muitos dos grandes desafios que as mentes mais brilhantes da atualidade lutam para resolver. Seguindo essa tendência, os profissionais de TI devem ficar atentos e buscar capacitações na área para continuarem firmes na carreira.

    Gostou do nosso artigo? Então, aproveite para descobrir como beneficiar a produtividade da sua equipe de TI!