<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    Você já ouviu falar sobre Blockchain em empresas? Se sim, saiba que muita gente ainda não entendeu o que é ou como funciona. A evolução constante das tecnologias pode nos deixar confusos com alguns novos termos. E mesmo conhecendo o conceito, podemos não saber como funciona ao certo.

    Muitos consideram o Blockchain como uma das maiores inovações da TI depois da internet e, por isso, ainda há muitas dúvidas geradas pela falta de conhecimento sobre o assunto. Esse mercado vem crescendo cada vez mais, e graças a isso, o seu impacto nos negócios tem se tornado muito mais influente.

    Nesse post, além de abordar o conceito, falaremos um pouco mais a fundo sobre como trabalhar com Blockchain, como funciona e muito mais. Boa leitura!

    Definição de Blockchain

    O Blockchain é conhecido como protocolo de confiança. Trata-se de uma tecnologia que acaba com a intermediação de terceiros em diversos tipos de transações. Funciona como uma espécie de registro público de testemunhas para dar autenticidade a uma determinada informação.

    No Blockchain, a validação é feita sem a necessidade de pessoas para intermediar, e sim por computadores espalhados pelo mundo. Sendo assim, a transação só ocorre quando as máquinas que guardam o código confirmam a autenticidade das informações. Por meio de uma espécie de assinatura digital criptografada, é possível validar dados e garantir a procedência de produtos, documentos, transações financeiras, entre outros.

    Bitcoin

    O Blockchain pode ser empregado em diversas áreas, mas ele tem uma ligação muito maior com o bitcoin. Portanto, é necessário que saibamos o que é o bitcoin para lidar com o Blockchain.

    Resumidamente, o bitcoin é uma criptomoeda descentralizada. Não é emitida por nenhum governo ou estado e seu valor oscila frequentemente. Isso acontece devido a toda especulação que gira em torno da moeda, seja por escândalos envolvendo o próprio sistema do bitcoin ou até mesmo pelos avanços tecnológicos que proporcionam o surgimento de várias outras criptomoedas.

    O potencial de variação do bitcoin é tão alto que seu valor pode variar numa média de até 20% em um período de 24 horas, seja para cima ou para baixo.

    Tecnologia revolucionária

    Assim como a internet revolucionou a tecnologia e a forma como vivemos e fazemos negócio, o Blockchain é a nova tendência que empresas têm adotado para reduzir custos e, praticamente, acabar com a burocracia.

    Por ser uma ferramenta estratégica para vários setores de negócio, atualmente, o Blockchain está mais relacionado às transações financeiras e tem sido utilizado para transformar a forma como as empresas operam.

    O bitcoin, por exemplo, tem suas transações validadas por meio do Blockchain. Assim, não é necessária a emissão de documentos e nem a intermediação de entidades financeiras para que os negócios sejam concluídos.

    Como funciona o Blockchain

    Entender o processo de funcionamento do Blockchain pode ser algo bastante esclarecedor para a compreensão dessa ferramenta e o que ela pode proporcionar. Todos as etapas podem até parecer um bicho de sete cabeças, mas na verdade não é nada muito complicado e é muito importante que se tenha conhecimento de cada uma delas.

    Sendo assim, agora falaremos um pouco sobre todas as etapas e processos do Blockchain para um melhor entendimento do assunto.

    1ª Etapa: Registro de transações

    Como se trata de um banco de dados, podemos assimilar o Blockchain a uma planilha de Excel, por exemplo. Nessa planilha teremos algumas colunas. Como o Blockchain do bitcoin trabalha armazenando transações financeiras, podemos imaginar que em nossa planilha tenha colunas para designar a origem, o destino e o valor de cada uma das transações.

    Algo muito interessante em relação ao Blockchain é que ele funciona de forma totalmente descentralizada e distribuída, ou seja, qualquer usuário pode possuir uma cópia da tal planilha em seu computador.

    Outra característica que podemos destacar é o asseguramento de que todos os dados estejam sempre sob sigilo e privacidade.

    2ª Etapa: Fazer com que as transações sejam anônimas

    Para que todas as transações feitas se tornem anônimas, o Blockchain usa a ideia dos endereços. Partindo do uso de chaves privadas individuais e com a aplicação de operações criptográficas, você consegue gerar diversos endereços que são formados por um grande conjunto de caracteres e números. É recomendado que, sempre que houver uma nova transação, seja feita a utilização de um novo endereço.

    Com o uso dos endereços, não há como descobrir a identidade dos indivíduos que estão inseridos na transação, assegurando o anonimato de ambos. Porém, com o uso de suas chaves os usuários conseguem ter controle sobre esses endereços. Essas chaves podem e devem ser guardadas em locais seguros, como um cofre ou algum programa de ocultação de dados sigilosos no computador ou smartphone.

    3º Etapa: Oficializar a transação

    Quando uma transação de bitcoins é feita, por exemplo, ela não é automaticamente adicionada ao Blockchain. Esta precisa passar por um processo de validação. Sendo assim, primeiramente ela fica em uma área temporária no aguardo de sua inclusão ao Blockchain, quando finalmente passa a ser oficializada.

    Dentro de uma média de 10 minutos é feita uma análise de todas as transações que se encontram nessa área temporária, e então passam a ser avaliadas por um miner, que nada mais é que um computador conectado à rede do Blockchain. Esse computador passa por uma competição matemática e, caso ganhe, ele terá o direito de introduzir a transação ao Blockchain, ganhando um prêmio em bitcoins.

    Geralmente, o miner, dentre outras coisas, verifica a autenticidade de cada uma das transações. Isso é essencial para conseguir saber se a transação realmente foi efetuada ou se alguém simplesmente fez uma geração de endereços falsos, simulando transações falsas para sua própria conta. Para lidar com esse tipo de fraude existe a assinatura digital.

    Quando uma transação é feita, o usuário assina digitalmente suas informações utilizando sua chave privada. Esse procedimento funciona como uma operação criptográfica sobre todas as informações da transação, gerando uma chave que é representada por mais um grande conjunto de números e caracteres, assim como o endereço, mas agora se trata da assinatura.

    O miner também confirma a validade da assinatura e se ela é correspondente aos dados da transação, confirmando a última etapa de oficialização da operação. Nesse estágio, também se faz a oficialização da data em que a transação foi realizada, por meio de uma carimbação oficial de tempo. E então, o miner assina a devida transação desenvolvendo mais processos criptográficos, gerando, para cada uma das transações, o transaction id, que nada mais é que uma chave que identifica uma transação oficial.

    Servidor Dedicado EVEO

    4ª Etapa: Tornar a transação imutável

    Essa etapa se projeta para tentar resolver um sério problema dentro dos Blockchain. Como todos os usuários conseguem ter acesso a uma cópia das planilhas, surge a possibilidade de que todos eles façam alterações nelas. Essa possibilidade colocaria em risco toda a credibilidade e todo o funcionamento do processo, permitindo que qualquer um tire proveito dessa falha.

    Para isso existe o hash, que nada mais é que uma função matemática utilizada sobre as informações do Blockchain, gerando uma codificação para cada versão dele. Ou seja, sempre que houver qualquer alteração na planilha, o hash também mudará.

    Essa mudança no hash é essencial para evitar que qualquer um consiga forjar transações no Blockchain e tire proveito, o que agrega muito mais confiabilidade ao sistema e também dá sentido ao nome Blockchain, que significa corrente de blocos.

    Utilização pelas empresas

    A forma como o Blockchain é capaz de validar, armazenar e registrar os dados de maneira que estes estejam seguros tem chamado a atenção. Porém, a desconfiança e falta de conhecimento sobre a tecnologia por parte da maioria dos empresários explicam a razão de a estrutura existir desde 2009 e ser utilizada apenas por um número relativamente pequeno de empresas.

    Entre as vantagens de uma empresa em adotar o Blockchain estão: maior rentabilidade das operações no mercado financeiro, facilitação de investimento estrangeiro nos negócios, eliminação da burocracia em registro de títulos, armazenamento de documentos e contratos, soluções simples para recebimento de pagamentos, entre outros.

    Existem empresas que têm assumido um papel realmente inovador ao usar o Blockchain para serviços além do financeiro. Setores de arte, jurídicos, imobiliários, seguradoras, etc, têm utilizado o Blockchain para expandir e compartilhar informações, fazendo negócios com o mundo todo.

    Na arte, por exemplo, uma empresa pode permitir que artistas de qualquer lugar registrem suas obras no formato digital, facilitando a compra e venda. Quem quiser gerenciar seu trabalho criativo pode compartilhar sabendo que a autoria estará devidamente protegida.

    No ramo jurídico, por meio da tecnologia Blockchain, é possível utilizar aplicativos que fazem marcação de data e hora em documentos, eliminando a necessidade de cartórios. O Blocksign e o OriginStamp são exemplos de aplicativos gratuitos que fazem esse tipo de trabalho. Existem também alternativas pagas (como o BitProof, por exemplo) que oferecem mais serviços.

    Empresas como a LG e a GoPro já utilizam o Blockchain para gerenciar suas garantias eletrônicas. Com isso, o consumidor pode ter fácil acesso às informações e suporte para seus produtos, poupando tempo e armazenando, de forma simples e segura, a garantia eletrônica.

    Futuro do Blockchain

    Já é possível imaginar uma mudança significativa na forma de catalogar, rastrear, certificar e autenticar informações por meio do Blockchain em empresas. Essa estrutura é basicamente um conceito tecnológico que transformará a forma como fazemos negócio. Por ser uma solução Open Source, as possibilidades são infinitas e certamente, no futuro, fará cada vez mais parte da nossa vida, assim como foi e continua sendo a internet.

    Com isso, podemos concluir que o Blockchain é, sim, a mais nova aposta dentro da área da tecnologia, e vale muito a pena estar por dentro do que acontece em torno dessa ferramenta poderosíssima e também como trabalhar com ela. Os lucros e as vantagens proporcionados pelo Blockchain são indispensáveis e não só podem como devem ser explorados.

    Gostou do nosso post e entendeu por que o Blockchain é tão importante? Recomendamos que leia nosso outro artigo em que falamos sobre a relação dessa ferramenta com a segurança de dados. Confira!