Falar com um consultor

    Categorias

    Nesse artigo você entenderá mais sobre replicação DFS e 13 coisas importantes que sua empresa e profissionais de TI devem estar atentos ao usar essa solução de replicação. Confira abaixo.

    O que é a replicação do DFS

    A replicação DFS é uma tecnologia online importante, parte da transformação digital, que permite que empresas armazenem dados com mais eficiência e segurança.

    Esse serviço permite que seu negócio armazene arquivos e pastas em mais de um servidor de arquivos.
    Quando são feitas alterações nesses arquivos e pastas em um dos servidores, estas são automaticamente replicadas nos grupos de replicação configurados.

    A função de replicação de DFS é uma função presente no Windows Server que ajuda a manter todas as pastas sincronizadas por meio de conexões de rede, e funciona igualmente em redes sem fio.
    Essa função substitui o FRS (Serviço de Replicação de Arquivo) no mecanismo de replicação de namespaces DFS.

    Ainda replica a pasta SYSVOL do AD DS (Active Directory Domain Services) nos domínios que usam o nível funcional no Windows Server 2008 ou em versões mais recentes.

    A Replicação DFS utiliza um algoritmo de compactação chamado RDC (Compactação Diferencial Remota). Entenda abaixo sua importância nessa função.

    1. A RDC na replicação DFS

    O RDC (Compactação Diferencial Remota) é um tipo de algoritmo que atua como protocolo entre cliente e servidor e tem a função de atualizar seus arquivos com eficiência quando se usam redes com largura de banda limitada.

    O RDC é capaz de detectar inserções, remoções e reorganizações dos dados presentes nos arquivos armazenados.

    Isso permite que a Replicação do DFS replique somente as alterações realizadas, e não o arquivo inteiro, o que gera eficiência em pastas ou arquivos de tamanhos maiores.

    Porém, atente que o RDC é usado somente em arquivos de 64 KB ou mais.

    É importante considerar esse detalhe porque podem ocorrer perda de dados importantes contidos em arquivos fora desse parâmetro.

    2. Quando não usar a replicação do DFS

    Essa função não deve ser usada em ambientes de rede em que vários usuários modificam os mesmos arquivos de forma simultânea dentre diferentes servidores.

    Isso pode causar que a replicação do DFS mova cópias conflitantes de seus arquivos para uma pasta oculta de itens deletados (Dfsr Private\Conflict and Deleted).

    Nesses casos em que vários usuários precisam fazer atualizações ao mesmo tempo, é indicado usar o recurso de Check-out do arquivo no Windows SharePoint Services, o que garante que somente um usuário por vez trabalhe em um arquivo.

    Confira se seu Windows Server possui a função de Windows SharePoint Services 2.0, já que geralmente não está incluso nas versões mais recentes.

    3. Requisitos para Usar a Replicação do DFS

    O principal requisito é fazer uma configuração correta em seus servidores antes de ativar essa função. Confira abaixo como isso deve ser feito.

    Primeiro, atualize o esquema do Ad Ds (Active Directory Domain Services) para poder incluir os esquemas do Windows Server 2003 R2 ou mais recente.

    Verifique se seus servidores inclusos no grupo de replicação estão localizados na mesma árvore, já que não é possível habilitar a replicação se estiverem em “florestas” diferentes.

    Então, instale a Replicação do DFS em todos os servidores que vão atuar como membros desse grupo de replicação para garantir que o serviço funcione corretamente.

    Verifique se seu software de antivírus é compatível com essa função, para garantir efetividade na proteção de seus dados. Esse detalhe é muito importante para evitar invasões e danos ao seu negócio.
    Selecione as pastas que deseja replicar e garanta que estejam formatadas no sistema de arquivos NTFS, já que a função de Replicação do DFS não suporta arquivos no formato ReFS ou FAT.

    Ainda, essa função não dá suporte para conteúdos armazenados em volumes compartilhados que sejam clusterizados.

    4. Entenda sobre o consumo de recursos do sistema de seu servidor

    O consumo dos recursos de seu servidor depende de vários fatores como seu disco, a memória e os recursos de CPU usados, o que inclui a quantidade e o tamanho dos arquivos e pastas, sua taxa de alteração e a quantidade de membros do grupo de replicação.

    Além disso, outros recursos como a Tecnologia ESE também são difíceis de estimar, devendo ser considerados caso a caso.

    Se você usa essa tecnologia, saiba que ela pode consumir grande parte da memória disponível, geralmente liberada sob demanda.

    Consulte seus prestadores para saber mais detalhes sobre o consumo de recursos de cada serviço usado para evitar problemas de sobrecarga e erros de integração.

    5. Nível de autorização para poder replicar arquivos

    Como a Replicação do DFS é um serviço que funciona por meio de sua conta no sistema local, não é necessário fazer logon como administrador, por exemplo, para poder replicar atualizações.
    No entanto, você precisa ser administrador de domínio ou administrador local dos servidores de arquivos para poder alterar as configurações de Replicação do DFS.

    6. Como funciona a frequência de replicação do DFS

    As atualizações feitas em arquivos e pastas são replicadas conforme o agendamento que você definiu. É possível realizar conforme seu desejo e necessidade.

    Ela possui uma grande flexibilidade, o que permite configuração de agendamento a cada 10 minutos, dias ou semanas.

    Ainda, a replicação é habilitada entre esses intervalos, iniciando após detectar qualquer alteração de arquivo, geralmente acontecendo em segundos.

    Quando desejar agendar um intervalo no grupo de replicação, faça conforme o horário local do membro que hospeda a conexão de entrada.

    Então, o agendamento acontece segundo a hora local dos outros membros quando considerar vários fusos horários.

    7. Possibilidade de replicar mais de uma pasta em um servidor

    A replicação do DFS permite que sejam replicadas várias pastas entre diferentes servidores, o que gera eficiência no desenvolvimento de transferências de dados.

    Porém, é importante que você verifique se as pastas replicadas possuem um caminho raiz exclusivo para que não se sobreponham.

    8. A replicação do DFS em ambientes Mistos (Windows/UNIX)

    Ainda que a Replicação do DFS seja compatível somente entre servidores executando o Windows Server, os clientes que usam UNIX conseguem acessar os compartilhamentos nos servidores Windows.

    Para isso ser possível, você deve configurar os serviços em NFS no servidor de Replicação do DFS, caso contrário não é possível realizar a integração da função.

    É possível usar a funcionalidade de clientes SMB/CIFS que são incluídas no UNIX para acessar diretamente no Windows, ainda que isso seja feito de forma limitada ou exija alterações no ambiente do Windows.

    9. Políticas do sistema de arquivos afetam a replicação do DFS

    Para garantir que a replicação do DFS aconteça corretamente, você não deve configurar políticas do sistema nas pastas replicadas.

    A política do sistema de arquivos reaplica as permissões NTFS nos intervalos de atualização da Política do Grupo, o que resulta em violações de compartilhamento já que um arquivo aberto não é replicado até ele ser fechado.

    10. Usando a replicação do DFS em arquivos offline

    É perfeitamente possível usar a replicação do DFS em arquivos offline em situações em que somente um usuário por vez faz alterações em arquivos.

    Porém, não use replicação do DFS com arquivos offline em ambientes com vários usuários simultâneos, já que não existe nenhum mecanismo de bloqueio distribuído ou função de check-out de arquivos.

    Caso dois usuários modifiquem o mesmo arquivo em servidores diferentes ao mesmo tempo, a replicação do DFS moverá o arquivo mais antigo para uma pasta oculta no caminho de origem dele.

    11. A replicação do DFS não se comunica com o FRS

    Mesmo podendo ser executados ao mesmo tempo, a replicação do DFS não se comunica com o FRS.
    As funções nunca devem ser configuradas para replicar as mesmas pastas ou subpastas ao mesmo tempo para evitar perda de dados.

    12. Sincronização de horário entre os servidores

    A replicação do DFS geralmente não exige a sincronização de horário entre os servidores, mas é importante verificar com seu prestador de serviço ou as configurações usadas nos servidores.

    Entretanto, requer que os horários dos servidores sejam configurados dentro de cinco minutos entre eles para que a autenticação do protocolo de rede Kerberos funcione corretamente.

    13. Quando um link WAN falha durante a replicação

    Caso isso aconteça, como em casos de conexão desativada, a Replicação do DFS continuará tentando replicar as atualizações até voltar a ter conexão.

    É possível coletar informações de erros de conectividade no registro log dos eventos da Replicação do DFS utilizando o MOM, que por meio de alertas automáticos avisa sobre uma possível falha.

    A importância de um profissional capacitado

    Para garantir que sua empresa ative essa funcionalidade de replicação do DFS com eficácia, é importante que um profissional especializado faça todo o processo seguindo as recomendações e exigências.

    Isso evita a perda de dados armazenados, já que falhas na configuração podem ocasionar gaps entre as atualizações realizadas nos arquivos.

    Para garantir as melhores soluções em infraestrutura de redes e serviços de armazenamento na nuvem IaaS, conheça a EVEO.

    A EVEO é uma empresa com experiência de mercado e oferece serviços com excelência no atendimento e na customização de soluções conforme sua necessidade.

    Conheça os serviços completos que a empresa oferece, ou ainda leia outros conteúdos completos sobre a área de Tecnologia da Informação para aprimorar seus conhecimentos!