<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    À medida que as empresas continuam acelerando o ritmo de migração para a nuvem, muitas se encontram na situação de ter que preencher a lacuna entre suas infraestruturas físicas e de nuvem, o que traz novos desafios

    A TI tem aplicações que considera críticas e as linhas de negócios têm diferentes requisitos do que é importante. Como resultado, o seu setor, muitas vezes, sobrecarrega-se com solicitações e, à medida que tenta atender à demanda, isso pode levar ao provisionamento excessivo da infraestrutura de nuvem e custos descontrolados.

    Fazer uma migração do modelo on-premise para a computação em nuvem é um processo complexo que, muitas vezes, dificulta o desenvolvimento de uma empresa. Neste post, conheça práticas essenciais para ter sucesso na migração para a nuvem

    5 melhores práticas de migração para a nuvem

    A migração para a nuvem pode ser um investimento inteligente para sua organização. No entanto, como muitas empresas, você pode não ter certeza de por onde começar. 

    Não há dois projetos de migração iguais. Mas, de modo geral, as 5 etapas a seguir servirão bem a qualquer empresa em seus esforços para migrar do on-premise para a nuvem.

    1. Planejar

    Sem a estratégia certa, você pode prejudicar suas chances de alcançar os benefícios desejados. Há muitos erros comuns quando as empresas fazem uma migração para a nuvem, e uma operação mal feita pode significar desempenho prejudicado e aumento de custos.

    Os meios para migrar dados do modelo on-premise para a computação em nuvem podem ser complexos, mas o objetivo final permanece o mesmo: alternar as operações para o serviço de nuvem sem interrupções, perda de dados ou uma violação de segurança

    Nesse sentido, é altamente recomendável pesquisar os métodos de migração de dados suportados por possíveis provedores de nuvem como parte de sua estratégia de migração.

    Os três fundamentos a serem considerados, independentemente do tipo de nuvem e dos modelos de serviço de nuvem que você usará são:

    1. O que é movido? 
    2. Por que é movido?
    3. Como será colocado em prática?

    2. Avaliar

    Agora que você sabe para onde quer ir, o próximo passo é avaliar a situação atual da sua empresa. Aqui, é preciso reconhecer e estar ciente das suas aplicações atuais e sistemas legados antes de ir direto à migração para a nuvem. 

    Uma das maneiras de começar a migração é mover uma carga de trabalho que não é de missão crítica para operações corporativas em tempo real. Quando tiver certeza que o aplicativo e os dados estão em ordem na nuvem, continue a migração de acordo com a estratégia que você escolheu. 

    As operações de negócios podem ser atrasadas durante o processo, especialmente na refatoração de migrações que não são totalmente planejadas e testadas com antecedência. 

    3. Estabelecer KPIs

    As partes interessadas na organização devem conhecer não apenas os dados que serão migrados, mas também o motivo pelo qual eles devem migrar para a nuvem em primeiro lugar. 

    Como a eficiência em custo, desempenho e segurança são os objetivos principais com os dados, é importante comparar o custo e o desempenho atuais dos serviços locais com o que a nuvem pode oferecer. 

    O rastreamento de ganhos realizados por meio de indicadores-chave de desempenho (KPIs) ajudará muito a medir o sucesso a longo prazo. Os KPIs para uma migração para a nuvem devem mostrar o andamento da operação e revelar quaisquer problemas inesperados. 

    Mais importante ainda, as métricas definidas precisarão ajudar a determinar quando a migração será concluída e bem-sucedida.

    4. Definir o orçamento

    Avaliar os custos locais e os custos estimados para a migração para a nuvem são etapas importantes. Esse estudo deve ser o mais completo possível para garantir que uma determinada estratégia de nuvem possa oferecer eficiência e redução nos custos.

    No on-premise, você deve avaliar os custos de servidor, armazenamento, rede e equipe de TI. Para a computação em nuvem, pense no valor não apenas da migração em si, mas também dos custos contínuos de possíveis provedores de serviços de nuvem para hospedar esses dados migrados. 

    Isso fornece as estimativas necessárias para determinar seu melhor plano de migração.

    Para tanto, investigue as ofertas de diferentes fornecedores para ter uma ideia de qual será o custo total de propriedade (TCO) em cada caso. Ainda, considere os requisitos de logística e recursos para diferentes estratégias de migração.

    5. Escolher a parceria certa

    O passo mais importante para o sucesso é escolher um parceiro para ajudar em sua jornada. Com tantas complexidades em torno da migração para a nuvem, fica fácil cair em um ciclo de gastos excessivos. Preparar-se para a migração e ainda continuar com as suas atividades cotidianas não é uma tarefa simples. 

    Um parceiro como a EVEO está preparado para lidar com todas as etapas mencionadas. Nossa expertise é aproveitada na transição de aplicações presentes em outro local, seja ele um data center ou mesmo on-premise, no qual realizamos um diagnóstico completo do desafio:

    • Nível de acesso aos dados na localização atual;
    • Expectativa de velocidade de conexão entre as pontas;
    • Dependências operacionais e funcionais, tais como a versão do sistema operacional em si e os softwares requeridos para funcionamento;
    • Tempo para cópia do volume de dados;
    • Testes funcionais que podem confirmar o sucesso da operação;
    • Agendamento para virada de chave, geralmente, vinculada a uma mudança no DNS em que é apontada a aplicação. 

    Desafios de migração on-premise para a nuvem a serem superados

    Adotar as possibilidades das últimas tendências de nuvem por meio de uma migração do on-premise para a nuvem não isenta você de desafios potenciais. Com um planejamento cuidadoso e parceiros certos, como a EVEO, você pode evitar obstáculos como:

    • Excesso de custos: despesas relacionadas à migração e TCO, necessidades de largura de banda, alocação de recursos e custos contínuos de pós-migração podem aumentar rapidamente. O planejamento cuidadoso com antecedência é essencial.
    • Bancos de dados: em alguns casos, a migração de bancos de dados on-premise para a nuvem é muito mais lenta do que a transferência de cargas de trabalho de aplicações, mas não precisa ser assim. A equipe de especialistas da EVEO, em conjunto com o seu time de TI, pode trabalhar e encontrar maneiras de mitigar quaisquer interrupções operacionais.
    • Infraestrutura e aplicativos legados: alguns sistemas legados foram desenvolvidos antes do advento da computação em nuvem. A maioria pode ser migrada, mas é crucial pensar no futuro. Durante o estágio de planejamento, determine se os recursos legados devem ser reformulados, refatorados ou substituídos antes da migração.

    A experiência em missões críticas e o nível de comprometimento em todas as fases do projeto fazem da EVEO o parceiro ideal para confiar a sua migração para a nuvem. Fale com um consultor.