<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=238571769679765&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">
Falar com um consultor

    Categorias

    O armazenamento de dados e a utilização de sistemas digitais são cada vez mais frequentes nas empresas. Com o aumento da dependência da tecnologia, grandes infraestruturas são montadas e é comum que, depois de certo tamanho, o controle se torne complexo.

    Muitas vezes, fica difícil até saber onde e por que surgem os problemas. Mas há uma solução: com métodos mais específicos e a ajuda da própria tecnologia, é possível facilitar o monitoramento e o controle, bem como melhorar o desempenho da infraestrutura digital.

    Foi por isso que preparamos o conteúdo a seguir. Descubra a partir de agora como agregar maior eficiência à TI do seu negócio!

    Por que é importante otimizar a gestão de um servidor virtual?

    Atualmente, é possível utilizar dois tipos de estrutura para os servidores virtuais: o modelo Stand Alone e os multi-servidores. Na primeira opção, a máquina virtualizada é ligada diretamente à internet e tem seu próprio sistema operacional para rodar as aplicações. Na segunda, há mais de uma máquina virtual, com cada uma executando determinada função para atender a um único serviço (ou vários).

    A empresa que roda um sistema e mantém o banco de dados na mesma máquina usa um modelo Stand Alone, por exemplo. Ele pode ser mais barato, mas é muito limitado com relação à escalabilidade.

    Já as organizações que desmembram a hospedagem da aplicação por várias máquinas e mantêm o banco de dados em um servidor separado usam o modelo multi-servidor. Nesse caso, o ganho de desempenho operacional é absurdamente alto.

    Independentemente da modalidade adotada, as funções de monitoramento e gerenciamento serão necessárias para analisar e controlar o fluxo de recursos consumidos. Essa dedicação deve ser constante, pois uma das intenções por trás da escolha da virtualização de servidores é justamente a otimização dos custos de TI.

    O empenho na gestão de servidores virtuais também deve garantir resultados superiores, melhorando a relação custo-benefício do investimento e permitindo a realização de um planejamento mais bem estruturado para o capacity (produção).

    Servidor Dedicado EVEO

    Quais são os erros mais cometidos nesse processo?

    A gestão de servidores virtuais é importante, mas muitas empresas executam as funções de maneira falha. Conheça os dois erros principais que prejudicam a eficiência do processo!

    Virtualização x Nuvem

    Hoje, é possível encontrar máquinas que entregam até 768 GB de memória, em configuração 1U. Isso eleva o poder de escalabilidade das máquinas unitárias e deixa o custo bem atrativo. Quando a empresa tem um orçamento limitado para o setor de TI, é normal que ela opte pela virtualização própria em vez de contratar os serviços de uma nuvem pública.

    Porém, essa opção exige cuidado na escolha dos hardwares e das companhias que fornecerão os componentes e realizarão os serviços de estruturação local. Sendo assim, se não houver expertise por parte da contratante, a empresa pode sofrer com altos custos de manutenção e baixo desempenho.

    Outro erro nesse sentido é usar a virtualização no modelo On Premise. Tal descuido pode acrescentar uma dose de riscos às operações de TI, como registros frequentes de quedas por falta de energia, quebra de links e invasões de sistemas. Portanto, o melhor é optar por um serviço de cloud computing, que vai proporcionar maior segurança em torno das máquinas para a operação final.

    Overcommit

    O overcommit acontece quando os gestores delegam funções que superam os limites de capacidade das máquinas. Se uma ou mais tarefas consomem 256 GB de memória de determinado servidor que disponibiliza 192 GB, por exemplo, inevitavelmente ele travará.

    O ambiente pode até ser preparado para distribuir os recursos entre as máquinas de acordo com a demanda do momento, mas é preciso ficar atento quanto ao uso de todos eles simultaneamente.

    Quando um servidor de 16 GB de memória é incorporado à máquina virtual e ela não usa toda essa capacidade, o restante é distribuído para os outros equipamentos. Portanto, é fundamental fazer um cálculo bastante preciso para aproveitar ao máximo os recursos disponíveis sem sobrecarregar uma máquina específica ou a estrutura por completo.

    Como melhorar a gestão de servidores virtuais?

    As nuvens públicas disponíveis no mercado, como AWS (Amazon Web Services), Microsoft Azure e Google Cloud, oferecem boas condições de gerenciamento para a virtualização, assim como o OpenStack, oferecido pela EVEO, que se encaixa na categoria de Data Center Virtual.

    Trata-se de um meio de fazer a gestão da rede, ativar e desativar máquinas, delegar serviços ou recursos e criar regras de segurança com um firewall, além de uma série de outros benefícios que só são possíveis quando se usa uma solução de Data Center Virtual.

    Portanto, a grande sacada do momento para quem tem um alto consumo de virtualização é contar com uma composição de Data Center Virtual para a alocação da infraestrutura. Assim, é possível desfrutar dos benefícios agregados, como balanceadores de carga, firewall e VPN (Virtual Private Network).

    Diferentemente da virtualização clássica, esse método inclui um sistema operacional e um dashboard que controla todo o ambiente, permitindo que toda a estrutura seja gerenciada por meio de uma interface mais amigável e intuitiva. Como resultado, a gestão melhora e o desempenho atinge patamares mais satisfatórios.

    Banner E-book Data Center Virtual

    Quais são as principais ferramentas para gerenciar um servidor virtual?

    Podemos separar as ferramentas em dois grupos: as pagas e as open source. Conheça agora as principais!

    Ferramentas pagas

    Entre as versões pagas, temos as seguintes opções:

    Ferramentas open source

    Já entre as versões com código aberto, estão as alternativas abaixo:

    Todas essas soluções de virtualização citadas vêm com dashboard e podem entregar benefícios consideráveis para a aplicação.

    Com a EVEO você pode montar um Data Center Virtual com base no OpenStack, e por ser uma empresa com infraestrutura e sede no Brasil, também oferece a vantagem de manter todos os custos em reais. Dessa forma, facilitando o planejamento orçamentário das companhias consumidoras.

    O OpenStack é um software de código aberto que entrega uma estruturação para a virtualização de servidores mais completa e moldada às necessidades do negócio. Tudo é realizado por uma equipe especializada e 100% dedicada aos objetivos da empresa contratante.

    Ou seja: seu negócio pode obter o máximo potencial do cloud computing, com servidores dedicados, capacidades de memória e processamento facilmente escaláveis, além de uma gestão em tempo real dos recursos consumidos e disponíveis. Então, siga nossas dicas e melhore a gestão dos seus servidores virtuais!

    Vamos começar? Entre em contato com a EVEO agora mesmo e descubra como podemos ajudar!