Falar com um consultor

    Categorias

    A tecnologia RAID (Redundant Array Of Independent Disks) está se popularizando no setor empresarial. Entretanto, muito mais do que oferecer soluções de armazenamento de dados, ela precisa assegurar que o acesso às informações necessárias aconteça de forma eficiente e em tempo hábil.

    É possível definir o ambiente em questão como uma tecnologia utilizada para fazer o gerenciamento de drives de forma independente. O objetivo é proporcionar o aumento no desempenho das máquinas e também garantir maior segurança de dados.

    Portanto, os drives envolvidos na tecnologia RAID funcionam isoladamente, mas, simultaneamente, se comportam como peças de um componente maior. Ao longo do artigo, vamos explorar em mais detalhes sobre essa tecnologia.

    Além disso, também serão comentados pontos a respeito da segurança de dados e da importância do RAID para garantir maior eficiência nesse sentido. Portanto, continue a leitura pra saber mais a respeito.

    O que é a tecnologia RAID?

    Em tradução direta, o termo Redundant Array of Independent Disks significa Matriz Redundante de Discos Independentes. Isso significa que os vários HDDs ou SSDs presentes em uma máquina se combinam e formam uma unidade lógica. Portanto, os dados que são armazenados em um drive se tornam disponíveis nos demais.

    Esse tipo de ambiente é útil para as empresas porque em caso de falha em um determinado drive, os dados importantes continuarão disponíveis por meio dos demais. Portanto, não haverá qualquer tipo de interrupção na execução dos processos ou no acesso de dados.

    Em razão da utilidade da tecnologia RAID, o formato se popularizou bastante. Assim, novos tipos foram surgindo para atender a objetivos distintos. Logo, não existe uma escolha correta, mas as opções precisam ser analisadas cuidadosamente de acordo com a ocasião, visto que cada contexto pede um tipo diferente de RAID.

    A seguir, as opções disponíveis na atualidade serão discutidas em maiores detalhes.

    RAID 0 ou fracionamento

    No modelo chamado de RAID 0 ou fracionamento, os dados ficam disponíveis em segmentos pequenos. Eles, por sua vez, são distribuídos ao longo do drive e elimina-se a redundância. Dessa forma, o ambiente não tolera as eventuais falhas em HDDs ou SSDs.

    Portanto, se um drive passar por um problema, a perda de dados pode acontecer, o que é uma desvantagem do modelo. Entretanto, do lado das vantagens, é possível destacar a sua alta performance, visto que o computador será capaz de acessar os dados mais rápido.

    Também se mostra válido citar como vantagem o baixo custo para a expansão de memória do RAID 0.

    RAID 1 ou espelhamento

    Como o nome sugere, o RAID 1 funciona com base no espelhamento de um drive em outro. Assim, é feita uma espécie de cópia mútua entre os HDDs ou SSDs envolvido no processo. Em razão dos pontos destacados, a segurança dos dados é o primeiro aspecto que deve ser considerado a respeito desse modelo.

    Além disso, quando se compara o desempenho do RAID 1 com o RAID 0, as quedas se mostram quase nulas. Portanto, o modelo de espelhamento costuma ser mais utilizado nos servidores de empresas. Mas, vale destacar que os seus custos são sensivelmente mais elevados.

    RAID 2

    É possível afirmar que o RAID 2 não é um modelo muito difundido atualmente. O motivo para isso está ligado ao fato que os HDDs atuais saem de fábricas com mecanismos bastante similares às suas principais funcionalidades e, portanto, já têm a capacidade de prevenir determinadas situações.

    Nesse sentido, vale ressaltar que o RAID 2 é uma tecnologia baseada em detectar falhas em drives rígidos para, posteriormente, corrigi-las. Então, as suas funções são a checagem e o monitoramento constantes.

    Além disso, o ambiente faz uso da tecnologia ECC (Código de Correção de Erro), o que praticamente elimina as taxas de erros mesmo quando acontecem falhas na rede elétrica da empresa. Mas, como atualmente muitos dispositivos possuem tecnologia nativa capaz de realizar esse processo, o RAID 2 não é mais tão utilizado.

    RAID 3

    O RAID 3 é uma tecnologia que funciona com base nas divisões de drives da matriz. Entretanto, um deles é a exceção e se torna responsável por realizar o armazenamento de dados com base na paridade. Entre as suas principais vantagens é possível destacar a transferência de grandes volumes de dados e também a confiabilidade no que se refere à segurança.

    Vale pontuar ainda que o RAID 3 possui controle de erros e escreve muito rápido. Porém, o seu processo de montagem por meio do software é mais complexo.

    RAID 4

    É possível afirmar que o RAID 4 se assemelha bastante ao RAID 3. Mas, o seu diferencial está na possibilidade reconstruir dados por meio de um mecanismo de paridade. Quando se fala a respeito de arquivos maiores, ele é o mais indicado por garantir a integridade das informações.

    Ainda como vantagens o RAID 4 oferece uma taxa de leitura rápida e a possibilidade de aumentar os drives físicos quando isso se mostrar necessário. Porém, a sua taxa de gravação é um pouco mais lenta e, quando se compara esse ambiente como RAID 1 em termos de reconstrução, o processo se mostra mais complexo.

    RAID 5 e RAID 6

    As similaridades do RAID 5 e do RAID 6 justificam que a sua abordagem seja feita de forma conjunta. Assim, é possível ressaltar que ambos consistem em evoluções das versões 2, 3 e 4 por causa de um drive inteiro do sistema é usado para armazenar informações relativas à paridade.

    Portanto, os RAIDs 5 e 6 são tecnologias de maior complexidade e a paridade está distribuída entre vários drives. Dessa forma, em caso de problemas, basta acionar o processo de rebuild e as informações serão devidamente recuperadas.

    Em ambos os casos vale destacar a rapidez na recuperação de erros e a leitura rápida. Porém, também é interessante pontuar que o RAID 6 conta com o dobro de bits de paridade em relação ao 5 e, portanto, mesmo que os HDDs apresentem algum tipo de falha, os dados não serão perdidos.

    Isso coloca o ambiente em questão como uma das alternativas que oferece mais vantagens em termos de segurança de dados. Logo, dois HDDs podem falhar de forma simultânea e os arquivos ainda serão preservados.

    Mas, para um bom funcionamento o RAID 6 precisa de pelo menos 3 HDDs para a implementação e conta com um controle de dados muito mais complexo.

    RAID 10

    O RAID 10 possui características que se assemelham aos modelos 0 e 1. Pode ser usado com mais de 4 drives e precisa que os HDDs sempre sejam instalados em números pares. Isso acontece visto que a metade deles será responsável pelo armazenamento enquanto a outra cuidará das cópias.

    Em razão das características destacadas, atualmente o RAID 10 é considerado a modalidade mais segura. Além de oferecer segurança aos dados, as falhas podem acontecer em mais do que dois drives ao mesmo tempo sem perda.

    Porém, vale pontuar que esta é uma tecnologia com alto custo de expansão. Além disso, os HDDs devem permanecer em sincronismo de velocidade para que a performance tenha o seu desempenho ampliado.

    A importância da segurança de dados

    A tecnologia RAID é capaz de garantir a segurança de dados. Entretanto, para entender efetivamente a sua importância nessa questão é importante explicar maiores detalhes a respeito desse conceito, que é essencial para todas as empresas nos dias de hoje.

    É possível destacar que a segurança de dados e tornou ainda mais importante após a criação da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que entrou em vigor em setembro de 2020.

    A legislação em questão tem como objetivo proteger os direitos à liberdade e à privacidade dos consumidores. Portanto, funciona como um conjunto de normas que devem ser seguidas por empresas e governos durante a coleta de dados pessoais, como os números de documentos, e de dados sensíveis, como informações biométricas.

    De acordo com o que foi exposto, é possível afirmar que a LGPD obriga as organizações a informar com clareza o motivo para a coleta de dados no momento em que ela acontece. Essa obrigatoriedade, entretanto, vale somente para quem está no Brasil no ato da coleta. Além disso, ela protege o uso desses dados por normatizar o seu tratamento.

    Dessa maneira, o compartilhamento online se tornou mais seguro, melhorando a experiência dos clientes de forma considerável. Para assegurar esse processo e atender à LGPD de forma eficiente as empresas passaram a tomar ações preventivas e reativas contra os roubos de dados, os acessos maliciosos de terceiros e as modificações sem autorização.

    Para garantir essa segurança é necessário percorrer o seguinte caminho:

    • Confidencialidade: garantir que somente pessoas autorizadas tenham acesso às informações dos clientes;
    • Autenticidade e integridade: assegurar que as informações sejam verdadeiras e preservem essa caraterística por meio do impedimento das alterações;
    • Conformidade: garantir um bom processamento de dados, conforme as regulamentações e as leis previamente estabelecidas;
    • Disponibilidade: permitir que o pessoal autorizado consiga acessar os dados dos clientes sempre que isso se mostrar necessário;
    • Irretratabilidade: não permitir que a autoria de uma determinada transação seja negada;

    Por meio desses tópicos é possível perceber a importância da segurança de dados e das boas estratégias para a sua manutenção. Assim, várias empresas fazem uso de ferramentas específicas para esse fim, como os softwares, a biometria, os antivírus, os sistemas de nuvem e, claro, a tecnologia de RAID.

    Como os ambientes RAID ajudam na segurança de dados?

    A tecnologia RAID é capaz de garantir a diminuição do tempo de leitura, fazendo com que a velocidade de acesso aos dados seja reduzida. Portanto, uma vez que a empresa se vê diante de algum cenário crítico, os seus registros podem ser rapidamente acessados ou, em casos mais extremos, recuperados.

    Isso ocasiona uma diminuição na indisponibilidade dos sistemas internos e, portanto, reduz consideravelmente os impactos de falhas. Logo, a segurança de dados é beneficiada e questões como perdas podem ser evitadas.

    Uma vez que o RAID traz a proteção contra as falhas de software e hardware, os dados estão automaticamente mais seguros. Caso um disco rígido sofra algum tipo de avaria irreparável, as informações estarão armazenadas em outros locais. Portanto, elas não serão perdidas.

    Assim, atualmente muitas empresas têm optado pela adoção desse modelo. Nesse ponto, vale destacar que a exceção é o RAID 0, que não garante esse tipo de proteção. Mas, os demais têm sido cada vez mais utilizados.

    Para saber se a sua empresa está adotando boas práticas de segurança digital, leia os artigos “Conheça 7 das melhores práticas para uma boa segurança da informação”.

    Como implementar uma tecnologia RAID?

    A implementação de uma tecnologia RAID pode ser realizada de duas maneiras: por meio de hardware e de software. Portanto, tudo depende do desempenho dos servidores da empresa e da sua segurança. Dessa forma, o modo de instalação deve ser definido pelo setor de TI ou por consultorias externas.

    Além disso, é importante lembrar que as tecnologias em questão têm custos distintos. Então, esse ponto deve ser olhado com atenção, visto que algumas opções disponíveis no mercado são significativamente mais caras do que as outras.

    Para implementar o RAID por meio de hardware, primeiramente, será preciso instalar os componentes. Atualmente, existem placas-mãe que trazem controladores onboarding para RAID. Caso as da empresa se encaixem nessa opção, basta conectar os drives nas portas que são administradas pelo controlador RAID.

    Já a implementação de RAID por software é mais simples e também a menos utilizada, já que o uso por hardware apresenta um melhor histórico de segurança. Para configurar a tecnologia RAID, será necessário dois ou mais disco de mesma velocidade e tamanho, e basear essa implementação nos sistemas operacionais do windows 7, 8, 8.1 e 10.

    Entretanto, em casos nos quais isso não acontece, será preciso adquirir uma placa de expansão com o recurso descrito. Então, o processo será exatamente o mesmo que o descrito, mas será realizado por meio do novo componente.

    Para saber mais a respeito desse tema e de outros voltados para a área as soluções de infraestrutura, visite o site da EVEO. Em caso de dúvidas sobre os serviços, converse com um dos consultores.