Falar com um consultor

    Categorias

    A segurança de dados é cada vez mais relevante para o bom funcionamento de um negócio. Mais do que simples arquivos, os dados corporativos são fontes de informação para a gestão, pois permitem análises estratégicas para o crescimento dos negócios. Mas para que os gestores tenham uma tomada de decisão bem direcionada, os dados necessitam de consistência, o que pode acabar se perdendo com falhas de segurança ou técnicas.

    Por conta do valor agregado dos dados corporativos, o roubo ou sequestro de informações se tornou um negócio lucrativo para os criminosos digitais. As técnicas e algoritmos que esses hackers utilizam estão cada vez mais sofisticados. Por isso, se a empresa não tiver as ferramentas de barreira, pode cair em truques como phishing, e-mails falsos, vírus, ataques ransomwares e outras formas de investida.

    Neste post, conheceremos as melhores práticas para implementar a segurança de dados em sua empresa. Confira!

    Mantenha os softwares atualizados

    Ao contrário do que muita gente pensa, as atualizações dos softwares não são feitas apenas para acrescentar novas funcionalidades. Outra função essencial de uma atualização é corrigir qualquer tipo de vulnerabilidade que possa colocar em risco o usuário e a sua infraestrutura.

    Os hackers encontram facilmente essas vulnerabilidades, principalmente quando sabem que o seu alvo está com um software ou drive desatualizado — pois poderá agir diretamente nas vulnerabilidades que foram consertadas na versão nova.

    A melhor forma de evitar essas brechas é manter todos os softwares e drives atualizados, de preferência criando meios para automatizar esse processo, reduzindo o risco de um fator humano que pode colocar tudo a perder: o esquecimento.

    Invista em backup

    Por melhores que sejam as ferramentas, não existe sistema 100% seguro. Por isso, é importante que a empresa tenha um plano “B” — caso haja um problema irreversível com os seus dados, seja roubo ou questões de ordem técnica. A melhor forma de prevenir é contar com um backup e um sistema de recuperação de desastres.

    Você pode criar um sistema de backups interno, com servidores dedicados ou utilizando dispositivos de armazenamento. Mas, sem dúvida, a forma mais moderna, segura e escalável de ter um backup de qualidade é utilizando os benefícios da nuvem.

    Além de contar com a manutenção dos servidores garantida por um provedor de credibilidade, sua empresa poderá mudar de plano de acordo com a demanda, não tendo a necessidade de manter um servidor ocioso em períodos de baixas, ou de fazer grandes upgrades em momentos de alta.

    Os backups precisam ser regulares e, se possível, automatizados, para garantir que, em caso de algum dano, haja um ponto de recuperação dos dados o mais próximo possível do acontecimento e a empresa não tenha grandes perdas.

    Servidor Dedicado EVEO

    Adote a nuvem como ferramenta estratégica

    A computação em nuvem é uma das propulsoras da transformação digital, é a solução que permite a uma empresa desde a contratação de um software como serviço até a virtualização completa de sua infraestrutura de TI.

    Além disso, a nuvem é um investimento que ajuda a reforçar as políticas de segurança da informação, pois permite uma gestão mais simplificada e um maior controle sobre os recursos disponibilizados para cada máquina.

    Com a centralização no servidor em nuvem, junto à utilização de um sistema de gestão que automatize os processos, as políticas de segurança poderão ser aplicadas a todos os usuários com apenas alguns cliques, criando uma padronização.

    Além disso, a centralização dos dados na nuvem permite que haja um controle efetivo de acesso e a criação de uma política de senhas. O controle de acesso, por exemplo, limita a atuação do profissional dentro do servidor, de acordo com as necessidades de sua função.

    Faça uma avaliação dos riscos existentes

    As práticas de segurança devem ser encaradas como um processo de melhoria contínua, pois, na TI, a velocidade com que os dispositivos e sistemas evoluem é bem mais rápida do que no "mundo analógico". Isso vale tanto para o que vem para melhorar o nosso dia a dia quanto para os malwares, que também ficam cada vez mais robustos e difíceis de combater.

    Por isso, é necessário que haja uma avaliação periódica dos potenciais riscos existentes e seus prováveis impactos, tanto em termos técnicos quanto para o negócio. Os ataques ransomwares, cada vez mais em voga, pegaram muitas empresas de surpresa. Pouca gente se preparou para a ideia de sequestro de dados com pedidos de resgate. Até então o foco era o vazamento e roubo.

    Nesse cenário, a criação de protocolos de mitigação de danos passou a ser quase que obrigatória, até por que, mesmo com o pagamento de resgate pelos dados, a empresa não tem garantia de que eles serão “devolvidos” e isso deve ser tratado previamente.

    Implemente uma política de segurança de dados

    Mais do que fazer ações pontuais, é importante que haja uma política sólida, com as diretrizes de segurança que os colaboradores terão que seguir. A maioria dos problemas relacionados à segurança de sistemas tem a ver com falhas humanas, como acesso irregular a determinadas áreas do servidor, downloads e instalação de softwares não autorizados e inserção de dispositivos de armazenamentos, que são verdadeiros hospedeiros de malwares.

    As políticas chegam para normatizar as regras de segurança da empresa, deixando bem claro todos os procedimentos permitidos e os proibidos, além dos riscos que cada ação insegura traz para a empresa — não apenas em relação ao sistema, mas para o negócio como um todo.

    Tenha uma equipe engajada

    Tão importante quanto a criação de políticas de segurança é conseguir fazer com que os colaboradores entrem na mesma sintonia em relação à proteção dos dados corporativos, entendendo-os como um ativo importante para a empresa como um todo, e não apenas do setor de TI.

    Por isso, é bom que as questões elaboradas nas políticas de segurança sejam claras, principalmente os critérios técnicos. Não adianta falar que há um risco de um ataque ransomware ou phishing para um leigo, é importante dar exemplos práticos desses tipos de crimes.

    Em relação às medidas básicas, é necessário que seja feito um treinamento com todos os profissionais para normatizar as condutas.

    Agora que você já conhece algumas das principais medidas para melhorar a segurança de dados, é hora de colocá-las em prática e reforçar a proteção de um bem tão valioso para a sua empresa: os dados.

    Gostou do post? Então continue com a gente e confira 4 passos para melhorar a sua gestão de TI. Boa leitura!